24/06/2019 07h45

Vítima estava na Santa Casa, em Campo Grande, somente com soro e medicação para dor, quando fugiu por volta das 10h deste domingo. Pai segue foragido.

G1

O rapaz de 28 anos, ferido com um tiro no peito pelo próprio pai, em Campo Grande, fugiu do hospital neste domingo (23). A mãe da vítima contou que eles discutiam por conta de uma dívida de R$ 2 milhões, quando o crime ocorreu.

Conforme a assessoria de imprensa do hospital, a fuga ocorreu por volta das 10h e a vítima permaneceu com a bala alojada no corpo. Ainda conforme a assessoria, no prontuário consta que “o paciente foi avaliado pelas clínicas vascular e de cirurgia, sendo encaminhado para área verde onde ocorreriam outras reavaliações. No entanto, houve a evasão sem alta médica”.

Nesse sábado (22), os médicos não operaram a vítima ao verificar que a bala não chegou a atingir nenhum órgão vital. Após algumas horas, enquanto ele permanecia na área verde somente com soro e medicação para dor, os profissionais novamente verificariam o risco cirúrgico no caso do paciente, segundo a assessoria.

Polícia foi acionada com a denúncia de briga entre familiares

No boletim de ocorrência, consta que os policiais foram acionados via Ciops, com a informação de uma briga entre familiares. Ao chegar, os policiais conversaram com a vítima e ele relatou para a guarnição que é proprietário do imóvel, onde também se localiza uma empresa, porém, é impedido de entrar pelo próprio pai, de 54 anos.

No entanto, a vítima disse que foi ao local no dia anterior, conseguindo entrar após “subir o muro do prédio, atravessar uma marquise e pular para dentro do imóvel através do correr lateral”. Na sequência, ele conta que o pai abriu a porta de cozinha e, em posse de um revólver calibre 38, efetuou um disparo na direção do rapaz.

O homem então teria trancado a porta novamente e deixou a vítima no corredor. Neste momento, ainda conforme o boletim de ocorrência, o suspeito pediu para empregada chamar a polícia e fugiu. Enquanto isso, o rapaz teria quebrado o vidro da porta para pedir socorro.

Para os policiais, a vítima disse que o pai foi embora dirigindo uma caminhonete de cor verde. O Corpo de Bombeiros, além do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foram acionados para socorrer a vítima, sendo ele encaminhado para Santa Casa. Já a testemunha foi levada para delegacia e prestou esclarecimentos.

Perícia encontrou muitas marcas de sangue pelo chão e suposta camiseta da vítima

A perícia também foi ao local, acompanhada do delegado plantonista. Eles encontraram muitas “marcas de sangue pelo chão, vários pingos, o vidro de uma porta dos fundos na cozinha que dá acesso a um corredor quebrada e aberta, além de uma camiseta com sangue e constatada uma perfuração na altura do peito, no chão da cozinha”. A investigação também apreendeu uma carteira e um celular, que seriam do suspeito.

O caso foi registrado como tentativa de homicídio, na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Centro. Ao G1 o delegado plantonista Enilton Zalla comentou que, no plantão deste domingo, não houve nenhuma apresentação de suspeito até o momento.

Mãe conta que menino não aceita dívida e quer que o pai limpe o nome dele

Ao G1 a mãe disse que o filho foi embora por conta da demora no atendimento. “Lá na Santa Casa falaram que tinha fragmentos, mas, no outro hospital que estamos, o cardiologista falou que a bala está alojada e agora terá de passar pelo procedimento cirúrgico. Meu filho fez novos exames, raio-X, tomografia e com isso precisa sim ser removida esta bala”, disse a mãe.

Nesta tarde, a mãe comentou que ainda deve retornar na delegacia. “Meu ex-marido me ameaçou e não estou me sentindo segura. Voltei lá para pegar algumas coisas e vi movimento de carros passando ali na frente o carro. Essa discussão já vem acontecendo há muito tempo, porque ele usou o nome do filho, deu um golpe na praça e isso vem causando muitos problemas emocionais para meu filho. Tenho fotos, ele já foi agredido anteriormente, algo muito grave. Ele chegou a ser amarrado na época”, comentou.

Ainda conforme a mãe, que prefere não se identificar, o filho está finalizando uma faculdade de arquitetura e queria “resolver a situação dele”. “Depois do crime, ele ainda teve a cara de pau de me ligar e dizer: venha buscar o seu filho senão eu mato ele. Meu filho tinha 19 anos na época quando o pai usou o nome dele, fez vários empréstimos e até comprou maquinário pesado. Ele não vai pagar, eu já disse para meu filho”, comentou.

A mãe comentou que o rapaz está muito abalado. “É um homem que possui antecedentes criminais de ameaça contra outras mulheres, de falsidade ideológico e já aplicou golpes em nome de outras pessoas. Eu separei dele há 20 anos, com dois filhos que temos, ameaçada por um segurança armado que anda com ele. E agora, novamente, a mesma pessoa nos retirou de lá”, garantiu.

Local onde ocorreu a tentativa de homicídio em MS — Foto: G1 MS

Comentários