Um foragido da Justiça foi preso neste último final de semana por policiais militares acusado de furtar uma loja, no Bairro Jardim Novo Aeroporto, em Três Lagoas.

Conforme o boletim de ocorrência, após denúncias via 190 (Telefone de Emergência da Polícia Militar), retando sobre o ocorrido, os militares foram até o local, onde encontraram a porta de blindex da loja somente encostada, sem travas e confirmaram o furto de várias roupas de bebês junto à proprietária da loja.

PRISÃO

Após a constatação do furto, os militares realizavam diligências no intuito de localizar e prender o autor, quando foram informados pela central da PM que o marido da vítima havia encontrado o acusado na Avenida Fillinto Muller.

Com eles, os policiais apreenderam várias roupas infantis e uma parafusadeira. Durante checagem, foi constatado que o autor encontrava-se foragido da Justiça e possuía um mandado de prisão em seu desfavor.

DETALHES DO FURTO

Questionado sobre os fatos, o autor relatou aos militares que no dia anterior, teria subido o muro da loja e entrado no interior da loja e como a chave estava na porta dos fundos do estabelecimento comercial, abriu a porta e subtraiu várias roupas infantis, como macacão, vestidos e conjuntos e em seguida, fugiu do local, abrindo a porta de blindex instalada na frente da loja.

O acusado ainda disse aos policiais que após o furto, ofereceu os produtos para uma mulher, que estava sentada na frente de sua casa, no Bairro Jardim Dourados e mesmo relatando que seriam produtos furtados, a mulher teria comprado a sacola inteira por R$ 50,sendo que uma outra mulher teria complementado o pagamento com mais R$ 5.

Ainda conforme o boletim de ocorrência, em seguida, o autor teria ido embora, comprar crack com o dinheiro, pois seria usuário de drogas e que neste domingo teria retornado a loja para subtrair mais roupas, sendo flagrado pelos vizinhos, que acionaram a PM.

RECEPTAÇÃO

Em continuidade a ação, os policiais seguiram até a casa da mulher que teria comprado as roupas furtadas, porém, ela não estava lá, sendo que os policiais foram recebidos pelo marido dela.

Em buscas pela casa nada de ilícito foi encontrado, fato que fez com a polícia entrasse em contato com a suspeita pelo telefone, que confirmou que o acusado teria oferecido as roupas para a venda, porém, ela teria se recusado a comprar.

Diante dos fatos, todos os envolvidos foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil para as providências cabíveis.

Comentários