23/03/2018 07h25

Investigado ainda tem outra filha, que não sofreu abusosSub-Título

Redação

Depois de três casamentos e a suspeita de uma avó, fotógrafo de 30 anos foi preso nesta quinta-feira (22) por estuprar a filha ao longo de três anos – hoje ela tem 12 anos. Ele também filmava e fotografava os abusos e tinha todo esse material guardado na casa onde morava, em bairro da região sul de Campo Grande.

A investigação sobre esse fotógrafo foi conduzida por equipe da Delegacia Especializada de Proteção a Criança e ao Adolescente (Depca) e começou em 2 de fevereiro, justamente porque a avó da vítima suspeito das atitudes da criança. A menina havia mudado muito o comportamento em casa e após algumas conversas, ela contou que o pai abusava dela desde os 9 anos. A denúncia, então, foi feita na unidade policial.

O investigado, que está em seu terceiro casamento e tem outra filha de 8 anos, foi preso na manhã de hoje em sua casa. A busca e apreensão no local foi possível porque a delegada Marília de Brito conseguiu na Justiça mandado para vistoriar o imóvel. Nesse trabalho, foram encontrados 800 mega de material pornográfico envolvendo crianças e adolescentes. Entre esses arquivos estava imagem e vídeo da própria filha.

A delegada Marília de Brito explicou que foram ouvidas diversas pessoas durante a investigação. Entre as testemunhas está essa outra filha, de 8 anos. Até o momento, não foi identificado que ela sofreu abusos, conforme informou a policial civil.

“Os abusos aconteciam quando a vítima ia visitar o homem, pois os pais eram separados. Do material apreendido, verificamos que há vídeos obtidos na internet, além do material que envolve a própria filha. Mas a investigação não terminou e vamos averiguar se há mais vítimas”, explicou Marília.

Outros abusos

No total, foram apreendidos 18 vídeos, além de fotos, todos com crianças e adolescentes sendo abusados. Esse material foi encaminhado para perícia.

O fotógrafo foi preso durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão por produzir e armazenar material pornográfico com criança e adolescente. Ele também foi indiciado por estupro de vulnerável. “Nós já pedimos a prisão preventiva dele”, detalhou a delegada, que agora aguarda posicionamento da Justiça.

O nome do investigado foi não divulgado para preservar a vítima e a família dela, bem como a outra criança que é filha do fotógrafo.

(*) Correio do Estado

Comentários