Os free shops devem ser instalados no Paraguai para poder competir com as mesmas condições que Argentina e Brasil

Enquanto o setor de importados da capital se mostra contra o Projeto de Lei que habilita os free shops em cidades da fronteira do país e coloca em risco o comercio fronteiriço, o empresário e um dos donos do Shopping China, Felipe Cogorno Álvarez, afirma que os free shops instalados na Argentina e Brasil tem muita vantagem por ser uma loja livre de impostos, colocando na corda bamba o turismo de compras no Paraguai. 

Há muitos anos o comércio em Cidade Do Leste vem experimentando uma queda econômica, mas sem uma proposta eficaz por parte do estado, e vem se agravando muito mais com a proposta do regime de lojas livres em 30 municípios  da República Federativa do Brasil, que diferente do Paraguai não existe restrições do tipo de produto a ser vendido com tributos único de 6% para produtos importados e 3% para produtos nacionais.

O empresário Felipe Cogorno Álvarez, afirma que os free shops devem ser instalados no Paraguai para poder competir com as mesmas condições que Argentina e Brasil, inclusive foi publicado uma lista detalhando as verbas e os impostos pagos tanto pelos empresários nacionais e do país vizinho.

Felipe Cogorno Álvarez, citou como exemplo o vinho. A pressão tributária no Paraguai chega a 43%, sendo destinado ao turismo de compra, enquanto nos “Free Shops” de Foz, e somente de 6% e nos Duty Free” da Argentina 4,5%.

(*) Assessoria de Comunicação

Comentários