15/07/2019 09h50

Foram seis registros de furto (metade deles, de hidrômetros) e quatro de violência doméstica – em uma delas, a mulher foi severamente agredida pelo marido e foi internada com traumatismo craniano

Gisele Berto

Os registros policiais do final de semana em Três Lagoas foram pontuados por queixas de furto e violência doméstica. Em relação às queixas de furto, chama a atenção que metade deles foi relacionados ao roubo de hidrômetros – e todos no mesmo dia.

Três queixas de furto de hidrômetros foram registradas no domingo em bairros diferentes: Nossa Senhora das Graças, Nossa Senhora Aparecida e Carioca. Os três furtos ocorreram na manhã de domingo, em torno das 6h.

Outro furto ocorreu na tarde de domingo, na Lagoa Maior, quando uma mulher de 25 anos teve sua carteira levada enquanto a vítima caminhada na Pista da Saúde. O homem puxou a carteira da mão da vítima e saiu correndo.

No sábado, em outra queixa de furto, um homem de 36 anos teve a moto furtada no Jardim Progresso. Ele afirmou parou em uma mercearia para usar o banheiro e deixou a chave na ignição e o capacete em cima da moto. Quando usava o banheiro ouviu o barulho da moto sendo ligada e uma voz dizendo que “pegaria a moto emprestada”. A vítima disse que conhece o homem que pegou a moto, mas que nunca fez negócios com ele.

Também no sábado, às 13h40, uma pessoa disse que estava no estacionamento de um supermercado na avenida Olinto Mancini e, enquanto guardava as compras, deixou o celular sobre o capô do carro. Ao terminar de guardar os produtos percebeu que o celular havia sumido. Ela relata que tinha um casal perto dela, que saiu em um carro azul logo em seguida.

ESPANCADA COM UM PEDAÇO DE MADEIRA

Além das queixas de furto chamam a atenção os casos de violência doméstica. Foram três registros, apenas no final de semana.

Em um deles, no final da noite de ontem, 14, uma mulher de 32 anos quase foi morta pelo marido no Distrito de Arapuá. Ela conta que eles estavam bebendo em casa quando o homem teve um ataque de ciúmes e fúria e passou a espancá-la.

O homem, de 39 anos, a atingiu com chutes, socos e tapas e acertou sua cabeça com um pedaço de madeira, causando um traumatismo craniano.

Quando a mulher perdeu a consciência, o homem fugiu. Ela foi socorrida pela cunhada, que serviu de testemunha.

A polícia fez rondas pelo local, mas não encontrou o homem. A mulher foi trazida à região central de Três Lagoas, pois estava com uma grave lesão na cabeça, na perna direita e dificuldades em falar, denotando problemas neurológicos em decorrência da pancada na cabeça.

Depois de passar pelo UPA, de acordo com o boletim de ocorrência, ela teria sido transferida para o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, onde teria sido internada com traumatismo craniano. Entretanto, o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora não confirma a entrada da paciente.

Os três filhos menores de idade da mulher estão sob cuidados do Conselho Tutelar.

CORRENDO DO FACÃO

Em outra ocorrência de violência doméstica, uma mulher de 51 anos, moradora da Vila dos Ferroviários, estava trabalhando no sábado à tarde na sua lanchonete quando o ex-companheiro, de 45 anos, apareceu, transtornado, pois não aceita o término do relacionamento. Armado com um facão, ele correu atrás da mulher, que fugiu e conseguiu chegar ao Distrito Policial para se abrigar e registrar queixa.

Também no sábado, mas no Jardim das Paineirras, uma mulher de 25 anos registrou queixa contra o ex-companheiro, de 24 anos.

Eles se separaram há sete meses e têm uma filha de um ano juntos. Bêbado, ele chegou à casa da ex e disse que levaria a filha com ele. Apesar de se sentir ameaçada, ela permitiu que o homem visse e abraçasse a pequena. No entanto, ele começou a dar solavancos no portão, a ameaçando de morte.

Em razão de agressões anteriores, o homem já tinha contra si uma medida protetiva e ele não poderia chegar a menos de 200m da mulher. O caso foi encaminhado à Delegacia da Mulher.

AGREDIDA COM CAPACETE

Ainda no sábado, por volta das 9h40, uma mulher foi agredida com socos e golpes com capacete pelo ex-marido no residencial Novo Oeste.

De acordo com o registro policial, o homem, de 34 anos, chegou à casa da ex-mulher enquanto ela não estava. Quando a mulher chegou, ele começou a agredi-la com socos nas costas e com o capacete da moto, e depois fugiu.

A mulher registrou boletim de ocorrência e afirmou que não foi a primeira vez que ele a agrediu e que por conta disso eles se separaram.

Arquivo Perfil News

Foto: Arquivo Perfil News

Comentários