25/02/2019 07h31

A Operação Terra Branca 2 tem como foco combater crimes de peculato, corrupção, falsidade ideológica e organização criminosa praticados na Secretaria de Assistência Social de Ladário

Redação

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) está nas ruas de Ladário, no MS, e do Rio de Janeiro para cumprir 4 mandados de prisão e 14 de busca e apreensão.

A Operação Terra Branca 2 tem como foco combater crimes de peculato, corrupção, falsidade ideológica e organização criminosa praticados na Secretaria de Assistência Social de Ladário, segundo divulgou a assessoria de imprensa do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul).

Em novembro do ano passado, a última vez que o Gaeco esteve em Ladário, o prefeito Carlos Ruso (PSDB), o secretário municipal Helder Botelho (Educação) e sete dos 11 vereadores da cidade foram presos. A força-tarefa também apreendeu dinheiro em espécie, que serviu como prova dos pagamentos feitos pelo chefe do Executivo aos parlamentares em troca de apoio político, segundo a operação.

O “mensalinho”, conforme o procurador-geral de Justiça, Paulo Passos, disse à época, variava entre R$ 1,5 mil e R$ 3,5 mil e acontecia há mais de um ano.

O Gaeco não divulgou, contudo, se a última operação tem alguma relação com o trabalho de hoje.

A assessoria de comunicação promete divulgar mais informações ao longo do dia.

O Campo Grande News tentou contato com o secretário de Assistência Social de Ladário, Alexandre Ramos Ohara. Ele, contudo, desligou o telefona assim que soube que se tratava da reportagem e não atendeu mais às ligações.

*Do Campo Grande News

Equipe do Gaeco ao chegar na Delegacia de Ladário durante operação em novembro do ano passado (Foto: Diário Corumbaense)

Comentários