04/06/2017 09h17

Em dois anos e cinco meses, governador garantiu 13.883 moradias aos sul-mato-grossenses; 10.098 já foram entregues e 3.735 estão contratadas.

Redação

Mais moradia para Mato Grosso do Sul. Em dois anos e cinco meses de gestão, completados em maio de 2017, o governador Reinaldo Azambuja garantiu 13.883 moradias aos sul-mato-grossenses. Desse total, 10.098 já foram entregues à população; outras 3.735 estão contratadas, ou seja, em processo de construção.

Os números da habitação revelam que Reinaldo Azambuja entregou 348 casas por mês desde que assumiu o comando do Estado. E essa quantidade deve ficar ainda maior, já que a meta do Governo do Estado é contratar mais unidades habitacionais até o fim de 2018. Só para este ano, segundo a Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab), serão 4,5 mil novas unidades pactuadas.

Um dos objetivos é diminuir o déficit habitacional do Estado, que era de 85 mil moradias em 2010 (IBGE). Outro é garantir moradia às pessoas que mais necessitam. Para superar esses desafios, em tempos de crise econômica nacional, a administração estadual tem buscado parcerias com o Ministério das Cidades, bancos públicos e as prefeituras municipais.

Ao longo dos últimos meses, o governador fez uma série de reuniões no Ministério das Cidades em busca de recursos federais. “Queremos diminuir o déficit habitacional de Mato Grosso do Sul e estamos reivindicando a inclusão do nosso Estado em programas federais de seleções para construção de novas casas”, afirma.

A busca por parcerias já tem gerado frutos. Nesta semana, o Ministério das Cidades anunciou a retomada da construção de mais de 20 mil casas e apartamentos em todo o Brasil. As obras estavam paralisadas devido a entraves entre construtoras e agentes financiadores. Com a intervenção Federal e a parceria do Governo do Estado, Mato Grosso do Sul será beneficiado com o reinício da construção 468 casas populares (313 em Naviraí, 85 em Pedro Gomes e 70 em Coxim).

Dignidade

O setor habitacional é considerado uma das prioridades de governo, garante Reinaldo Azambuja. “A casa própria dá dignidade à família e melhora a qualidade de vida. Investir em habitação é investir nas pessoas”, avalia o governador. Segundo ele, quando entregues, as moradias beneficiam, em sua maioria, mulheres e pessoas com renda familiar baixa.

Exemplo de beneficiária que teve a vida transformada é a dona de casa Daiane Fernanda Saraiva, de 26 anos. “É muito bom sair do aluguel, ter casa própria e realizar um sonho. Desde que me casei, há 10 anos, moro de aluguel, sempre escolhendo casas bem simples, sem forro e sem piso para economizar. Agora, que tenho a minha casa, vou economizar para poder melhorar sempre”, conta.

A jovem, que é mãe de duas filhas, foi contemplada com uma casa de 42,80 m² com dois quartos, sala, cozinha, banheiro e sistema de aquecimento solar. A moradia fica no residencial Jardim dos Ipês, em Fátima do Sul. O conjunto tem ao todo 300 casas, dois parquinhos, duas academias ao ar livre e duas quadras de esportes, além de um centro de convivência. O empreendimento foi entregue pelo governo em maio de 2017 e custou R$ 15,1 milhões aos cofres públicos – recursos da União, Estado e Prefeitura.

Somente em maio deste ano, o Governo do Estado inaugurou casas em Fátima do Sul (300), Itaporã (50) e Sidrolândia (14).

(*) Assessoria

Reinaldo Azambuja garantiu 13.883 moradias aos sul-mato-grossenses. (Fotos: Assessoria).

Alegria estampada no rosto das crianças que, agora, têm uma moradia digna para chamarem de “sua”.

Os números da habitação revelam que Reinaldo Azambuja entregou 348 casas por mês desde que assumiu o comando do Estado.

Comentários