17/03/2012 07h46 – Atualizado em 17/03/2012 07h46

Da Redação*

Presente na solenidade de abertura do I Encontro do setor do Turismo do Centro Oeste – linha de crédito FCO Turismo, realizada hoje (16), no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, no Parque dos Poderes, o governador André Puccinelli defendeu a união de esforços para incentivar o turismo, não só no Mato Grosso do Sul, mas em todo o Centro-Oeste.

“O setor de turismo em Mato Grosso do Sul é visto com um grande pilar em sua economia. O turismo é a indústria sem chaminé, indústria limpa. Temos que unir os esforços para fomentar o turismo em Mato Grosso do Sul e em todo do Centro-Oeste. A Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste) também deve ter aporte de recursos assim como as outras superintendências regionais do Brasil (Sudam e Sudene). Devemos todos juntos fazer uma mobilização para facilitar o acesso aos recursos do FCO. O Centro Oeste tem 12 senadores e 41 deputados federais no Congresso Nacional, representando os interesses dos quatro estados” afirmou André.

Ao Banco do Brasil, gestor dos recursos do Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FCO), André pediu mais flexibilidade e agilidade na análise dos recursos. “Reduzir garantias para alcançar os médios e pequenos empresários e reduzir o tempo de análise dos processos são procedimentos que podem aumentar a captação de recursos por parte da iniciativa privada” esclareceu Puccinelli. Outra iniciativa é levar as informações para os interessados, para que o recurso do FCO posse ser esgotado. Em 2011, apenas 36% do montante dos recursos foi disponibilizado.

A oficina de hoje (16) tem por objetivo orientar e esclarecer o acesso às linhas do FCO turismo aos investidores. Cerca de R$ 500 mil estão disponíveis para o setor, afirmou o superintendente da Sudeco, Marcelo Dourado. “A Sudeco está coordenando um trabalho de integração turística entre os quatro estados do Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal). Existem recursos disponíveis no setor turístico e esta oficina apresentará formas de acesso a estes recursos. Mato Grosso do Sul tem uma rede de turismo de excelência e é fundamental estruturar o Estado e os municípios, com centros de convenções, hotéis, estradas, logística e recursos humanos preparados para receber os turistas”.

O FCO é o fundo que mais cresceu em todo o país. Em 2011, foram R$ 5,5 bilhões para o Centro-Oeste, um crescimento de 30% em relação ao ano anterior. “Mato Grosso do Sul tem atrativos turísticos excepcionais em função de sua geografia privilegiada, contendo dois biomas de grandes belezas naturais: o bioma Pantanal e o bioma Cerrado” destacou Marcelo Dourado.

Para a presidente da Fundação de Turismo, Nilde Brun, alguns gargalos precisam ser resolvidos. “Esta iniciativa de unir empresários, gestores públicos, agentes políticos e técnicos do Banco do Brasil demonstra a vontade de vencer as dificuldades. O turismo é a atividade que mais cresce no mundo. O turismo pode engrossar ainda mais a economia no Estado e com acesso ao crédito do FCO, o setor tenderá a expandir ainda mais” destacou Nilde.

(*) Com informações do Noticias/MS

Comentários