A partir de domingo (13) todos os municípios do Estado deverão aderir às novas regras determinadas pela decreto estadual

Por Adriano Fernandes

O governo de Mato Grosso do Sul atendeu ao pedido dos municípios e adiou em 48h o início das restrições previstas no decreto publicado nesta quinta-feira (10), para tentar conter o avanço da covid-19 no pior momento da pandemia no Estado. A partir de domingo (13) todos os municípios do Estado deverão aderir às novas regras. Até então as cidades que não fossem adotar as recomendações poderiam apresentar as “justificativas técnicas” para o descumprimento perante a Secretaria de Estado de Saúde.

O pedido de adiamento foi feito pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD) e também pela Assomassul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul). “Demos 48h para os municípios se adequarem às novas regras e a vinculação (dos municípios), a partir de agora será obrigatória”, disse o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende após reunião, nesta noite (10) com o conselho do Programa Prosseguir.

Os municípios do interior e a Capital pediram mais tempo, não apenas para se adequarem às novas regras, também por conta do Dia dos Namorados, um dos períodos do ano com maior aumento de vendas no comércio. A partir de domingo, dia 13, até o dia 24 de junho, Campo Grande e os outros 42 municípios com bandeira cinza terão de retomar o toque de recolher a partir de 20 horas. A venda de bebidas alcoólicas nestas regiões está permitida apenas no sistema delivery e a lista de serviços essencias que estão liberados para funcionar inclui 51 atividades, dentre supermercados, transporte coletivo, bancos, lotéricas e até igrejas e academias.

Nos outros 29 municípios com bandeira vermelha também estarão liberadas “atividades não-essencias de baixo risco”, como restaurantes, comércio de bebidas e atividades esportivas.

Nas cidades classificadas em patamar laranja, tanto as atividades de “baixo” como de  “médio risco” também estarão liberadas, incluindo bares, shoppings e feiras livres. São apenas 7 cidades nesse patamar.

No início da semana, Campo Grande – que já perdeu mais de 3 mil vidas para a covid-19 – havia recebido a classificação vermelha, mas o governo estadual revisou os parâmetros ontem (09), quando reenquadrou a Capital e os outros município. A medida foi tomada porque todas as macrorregiões do Estado tem mais de 90% dos leitos ocupados. Diante do colapso na saúde, Mato Grosso do Sul também passou a encaminhar pacientes para Rondônia e São Paulo por falta de leitos.

(*) Campo Grande News

Comentários