18/11/2006 17h38 – Atualizado em 18/11/2006 17h38

Estadão

Durou pouco a liberação à popular enciclopédia online Wikipedia. Menos de uma semana depois de os internautas chineses poderem acessar o site, após mais de um ano de proibição, o acesso voltou a ser bloqueado nesta sexta-feira, dia 17, em diversas partes da China.

Usuários daquele país e defensores da liberdade de expressão tinham recebido bem o fim da proibição ao acesso à Wikipedia nas versões em inglês e mandarim do site que provê informação de forma colaborativa (escrita e editada por seus usuários), embora os céticos apresentassem reservas de que o acesso poderia ser temporário.

“Foi uma grande notícia para nós”, disse Yuan Mingli, 33, um engenheiro de software de Xangai que contribuiu com vários verbetes em ciência da computação e figuras históricas chinesas no site. “Internautas chineses não são diferentes dos de outros países. A Wikipedia é uma Font de informação muito importante para nós.”

Não está claro se a Wikipedia ficou inacessível por problemas técnicos ou por bloqueio dos censores do governo. O Ministério de Assuntos Exteriores e o Ministério da Indústria e Informação não retornaram as solicitações de informações nesta sexta.

 

Bloqueio

O governo chinês bloqueou o acesso à Wikipedia em outubro de 2005, aparentemente para impedir o acesso a tópicos sensíveis ao país como o Tibete, Taiwan e outros termos.

O governo comunista chinês também impõe um rígido controle à internet naquele país, utilizando um conjunto de medidas que envolvem filtros sofisticados e softwares de detecção de conteúdo que procuram por palavras sensíveis ao governo, além de contar com funcionários dedicados a monitorar o tráfego de informações na Web.

Como resultado, usar a internet na China é uma experiência muito diferente da que ocorre em outros países do mundo, de onde se vê o conflito com o caráter libertário da Wikipedia, que representa um desafio à política de controle de Pequim.

“Existem diversos relatos de que a Wikipedia está novamente inacessível na China”, disse Andrew Lih, um pesquisador de Pequim que está escrevendo um livro sobre a enciclopédia online.

 

Censura

Lih disse que usuários que tentavam acessar o site recebia uma mensagem de erro, em vez do típico aviso de que o site estava bloqueado. Ele afirmou também que o número de novos usuários registrados na versão chinesas da Wikipedia saltou na última semana para uma média de 1200 e 1300 novos usuários/dia, um crescimento de mais de três vezes em relação aos 300 e 400 antes do fim da proibição ao acesso, por volta do dia 9 de novembro.

“E este é apenas o número de usuários registrados. O número de pessoas que só acessa a Wikipedia mas não se registra é muito, muito maior”, afirmou Lih.

Especialista já haviam comentado o anúncio do fim da proibição, com ceticismo, afirmando que podia ser algo temporário.

“É ótimo ver a Wikipedia acessível de novo, embora na China, o desbloqueio pode não ser permanente: o site pode ser bloqueado de novo em um dia, uma semana ou em um mês”, afirmou Jonathan Zittrain, professor de governança em internet e regulamentação na Universidade de Oxford.

Também não ficou claro porque Pequim havia liberado o acesso ao site. A porta-voz do Ministério do Exterior, Jiang Yu, disse na quinta que ela não tinha informações sobre o acontecido, mas que a China “ativamente suporta e promove o desenvolvimento da internet.”

Comentários