25/09/2017 13h45

O governo cogitou acabar com o horário de verão neste ano no Brasil após estudo indicarem que a iniciativa não é mais tão eficaz do ponto de vista econômico.

Da redação

O Ministério de Minas e Energia confirmou nesta segunda-feira (25) que decidiu manter o horário de verão para o ano de 2017. Desta forma, os moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverão adiantar os relógios em uma hora no dia 15 de outubro, daqui a pouco menos de um mês.

O governo cogitou acabar com o horário de verão neste ano no Brasil após estudos realizados pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) indicarem que a iniciativa não é mais tão eficaz do ponto de vista econômico como em anos anteriores.

Eles mostram que o consumo de eletricidade pela população está sendo mais influenciado pela luminosidade e temperatura do que pelo horário. Os relatórios foram levados à Casa Civil e discutidos internamente no Palácio do Planalto junto ao ministério. Embora já tivesse sido praticado desde 1931 pelo governo de Getúlio Vargas, o horário de verão passou a ser permanente a partir de 2008. A medida começa em 15 de outubro e vai até o terceiro domingo de fevereiro, a não ser se este antecipar o Carnaval.

Desta forma, o horário de verão 2017/2018 acabará em 19 de fevereiro, quando os relógios deverão ser atrasados em uma hora. A manutenção do horário de verão, porém, só está confirmada para 2017. O governo ainda não sabe se vai praticar a medida para 2018 em diante. Uma pesquisa para saber a opinião da população quanto ao tema está sendo estudada pelo governo.

Economia em 2016/2017 foi de R$ 159,5 milhões

Segundo dados do ONS, o horário de verão praticado em 2016/2017 gerou uma economia de R$ 159,5 milhões por causa da redução do acionamento de termoelétricas durante o período.

(*) Informações com a Folha de São Paulo.

População está sendo mais influenciado pela luminosidade e temperatura do que pelo horário. (Arquivo / Perfil News)

Comentários