26/12/2012 16h43 – Atualizado em 26/12/2012 16h43

Governo do Estado solicita ao Ministério do Planejamento inclusão da BR-419 no PAC

Da Redação

O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão já recebeu o pedido do Governo de Mato Grosso do Sul para a inclusão da pavimentação da BR-419 no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Na última semana, depois de fazer a entrega de viaturas e armamentos para a Segurança Pública, em evento na Capital, o governador André Puccinelli confirmou em entrevista que fez a solicitação à União relativa a esse empreendimento. Na noite do dia 20, em Brasília, o deputado federal Edson Giroto entregou à ministra Miriam Belchior ofício do governador.

Para viabilizar a obra a partir do próximo ano, o parlamentar apresentou e foi aprovada pela Comissão de Viação e Transporte (CVT) da Câmara dos Deputados emenda ao Orçamento Geral da União (OGU) de 2013, que assegura R$ 200 milhões para pavimentação da BR-419.

O deputado sul-mato-grossense explicou que serão asfaltados 226 quilômetros da rodovia, que atravessa os municípios de Rio Verde de Mato Grosso, Rio Negro, Aquidauana e Anastácio. O projeto executivo está concluído e já foram feitos os estudos ambientais, sendo que estão previstos a construção de 33 pontes, dois viadutos e 330 obras de drenagem.

“Reforcei à ministra que a obra vai possibilitar o escoamento da produção local, reduzir frete e aliviar o tráfego da BR-163, além de servir de ligação entre o norte do Brasil com a região de fronteira com o Paraguai, mais precisamente a cidade de Porto Murtinho”, destacou Giroto.

Durante inauguração da pavimentação da BR-359, em Alcinópolis, no dia 17 de dezembro, o ministro dos Transportes, Paulo Passos, informou que o governo federal avalia a inclusão de um projeto para pavimentação da BR-419. “Estamos em tratativas para fazer essa pavimentação, que seria uma obra da maior importância para cobrir também outra região do estado com rodovia asfaltada”, revelou.

Será asfaltada a rodovia que atravessa os municípios de Rio Verde de Mato Grosso, Rio Negro, Aquidauana e Anastácio (Foto: Google)

Comentários