27/02/2012 16h41 – Atualizado em 27/02/2012 16h41

G1

O governo brasileiro pretende lançar em abril um novo site com dados públicos em formato bruto e aberto que possibilitará o cruzamento de informações e a criação de aplicativos. O portal brasileiro de Dados Abertos está no ar com uma versão em fase de testes (http://beta.dados.gov.br) desde o fim do ano passado.

O site foi criado após a sanção da Lei de Acesso à Informação e em razão da Parceria para Governo Aberto (Open Government Partnership, OGP), liderada pelo governo brasileiro e pelos Estados Unidos e da qual participam outros países.

Entre os dados disponíveis estarão os relacionados a fornecedores, servidores, investimentos e outros levantamentos nacionais, como indicadores de saúde e educação, por exemplo.

Conforme o Ministério do Planejamento, responsável por disponibilizar para os órgãos públicos a metodologia para a divulgação das informações, a diferença entre o novo portal e o já existente Portal da Transparência, que contém dados de despesas e receitas da União, é que a nova ferramenta contém dados que podem ser lidos por máquinas. Com isso, será possível a criação de aplicativos de cruzamento de dados com maior facilidade.

Na versão em testes do site, é possível ver alguns aplicativos criados com as informações públicas já disponíveis, como o painel que mostra locais com maior incidência de acidentes de trabalho e outro que aponta onde foi aplicado o dinheiro dos impostos pagos pela população. No site, há um manual de como utilizar as informações.

Parceria para Governo Aberto
Além de Estados Unidos e Brasil, também participam da Parceria para Governo Aberto (OGP, na sigla em inglês) Indonésia, México, Noruega, Filipinas, África do Sul e Reino Unido.

Segundo o OGP, a ideia é ampliar a participação da sociedade, combater a corrupção e utilizar novas tecnologias para a transparência das informações.

O lançamento da versão oficial do site será em Brasília, quando o OGP anunciará a entrada de outros países na parceria. A data ainda não foi definida.

Comentários