25/09/2017 16h13

No entanto, de acordo com os Correios, a mobilização atinge 14% dos funcionários. Três Lagoas é uma das cidades afetadas com a paralisação.

Flávio Veras

A paralisação de funcionários dos Correios já afeta 42 cidades de Mato Groso do Sul nesta segunda-feira (25), sendo que uma delas é Três lagoas. Porém, segundo os Correios, somente 14% dos funcionários paralisaram na manhã de hoje.

De acordo com o Sintect-MS (Sindicato dos Trabalhados dos Correios e Telégrafos de MS), a maior parte da adesão está entre os carteiros, e para aumentar o impacto, estão sendo feitos piquetes na frente das agências que têm encomendas para serem entregues.

Além disso, o órgão ainda afirmou que a adesão à greve tem aumentado e em alguns casos de atendentes e de funcionários do setor de distribuição que também estão paralisando.

Além Três Lagoas, o sindicato divulgou um levantamento apontando que em MS à greve já atingiu as cidades de Mundo Novo e Douradina, 42 municípios do estado, que são: Água Clara, Amambai, Anastácio, Aquidauana, Batayporã, Bela Vista, Caarapó, Camapuã, Campo Grande, Coronel Sapucaia, Corumbá, Costa Rica, Coxim, Dourados, Douradina, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Guia Lopes, Iguatemi, Inocência, Itaporã, Itaquiraí, Ivinhema, Jardim, Maracaju, Mundo Novo, Naviraí, Nova Alvorada, Nova Andradina, Paranhos, Ponta Porã, Rio Brilhante, Rio Verde, Rochedo, São Gabriel, Selvíria, Sete Quedas, Sonora, Tacuru, Terenos e Laguna Carapã.

“Parte desses municípios, cerca de 20, estão com o atendimento e distribuição totalmente parados e com as agências fechadas, enquanto nos demais a paralisação é parcial, mas comprometendo em maior ou menor grau tanto o atendimento quanto a distribuição. Algumas agências do interior estão abertas precariamente e com trabalhadores deslocados de outros municípios”, salientou em nota o sindicato.

Porém, de acordo com os Correios, em Campo Grande não houve nenhuma diferença nos atendimentos.

De acordo com o Sintract-MS a maior parte da adesão está entre os carteiros (Arquivo / Perfil News)

Comentários