10/07/2017 15h20

Guerreiro avalia secretariado e diz que Lei de Responsabilidade Fiscal engessa a administração

Secretários que não atingiram nota máxima terão uma segunda chance, diz Guerreiro. Ele falou ainda que população está certa em cobrar a administração, mas avisou na maioria das vezes a burocracia emperra as licitações

Flávio Veras

Com seis meses de trabalho, o prefeito de Três Lagoas, Ângelo Guerreiro, fez uma avaliação do secretariado, em entrevista concedida exclusivamente ao Perfil News. De acordo com o chefe do executivo, a maior cobrança, com relação aos secretários, é para que eles deixem de ser técnicos a passem a ocupar uma postura de gestores.

Para o prefeito todos os profissionais são bem empenhados. No entanto, o nível de excelência ainda não foi alcançado. “Alguns se destacam mais do que os outros. Em uma avalição de 0 a 10, temos secretarias que já tem uma nota quatro, algumas eu dou três ou dois no máximo. Acredito que essa dificuldade seja porque estamos no início da nossa gestão. Contudo, no segundo trimestre do ano e, em algumas pastas, tivemos um salto no nível dos trabalhos realizados, se levarmos em consideração o mesmo período anterior”, avaliou.

CONTATO DIRETO

Ainda de acordo com Guerreiro, todas as semanas ele realiza uma reunião com os secretários. Nela, ele falou passa quais são as prioridades da gestão e procura entender as dificuldades que os seus subordinados enfrentam. “Não está maravilho e, por isso, sempre procuro estar com eles e tentar resolver empecilhos. Eu tento fazer isso porque entendo que apenas trocando os nomes não resolveremos de imediato às falhas. Todos merecem uma segunda chance, para mostrar seu trabalho com um pouco mais de calma” ponderou.

GESTÃO

A principal cobrança do prefeito é que os servidores deixem de ser técnicos e passem a adotar uma postura de gestores. “Às vezes o profissional não tem uma visão administrativa sobre a pastas na qual atua. Se o secretario tem um diretor, ele tem que saber delegar. Cada setor de existem profissionais capacitados e indicados para fazer os trabalhos, o segredo é saber gerenciá-los”, orientou.

COBRANÇA

Questionados pela reportagem sobre quais secretarias seriam mais cobradas pela população, o chefe do Executivo afirmou que são às da Saúde e da Infraestrutura. “Temos um déficit muito grande nessas duas áreas e, por isso, estamos empenhados em tentar melhorá-las. Mas, eu entendo a população, pois essas elas têm uma grande demanda e a necessidades de ampliação nesses serviços é uma realidade”, ponderou.

TRÂMITE

No entanto, para o prefeito a maioria da população não sabe os trâmites legais para se elaborar uma licitação. “Ela imagina que é um documento comum. Pelo contrário, uma simples licitação demora cerca de 60 dias para ser aprovada e, caso uma empresa participante do pregão se sinta lesada, esse trâmite pode se perdurar por 90 ou 120 dias. Sem ele não podemos fazer nenhuma compras e investir em nada, pois cairíamos na Lei de Responsabilidade Fiscal”, explicou. “Por isso cobro do meus diretores e secretários que eles comunguem entre si. Por exemplo, cada secretaria tem um estoque é obrigação deles garantirem sempre os abastecimentos, pois se esperar chegar a faltar para fazer aquisição do material, teremos ai um período de no mínimo 80 a 90 dias para a chegada dele devido à burocracia”, finalizou.

(*) Entrevista, Ricardo Ojeda

O prefeito disse ao Perfil News que todos os profissionais são bem empenhados, no entanto, o nível de excelência que ele quer na administração ainda não foi alcançado (Foto: Thais Dias)

Comentários