O equipamento policial, que já é pouco, acabou danificado por um homem enfurecido; casal bebeu, se desentendeu, a polícia foi chamada e, agora, quem fica com o prejuízo é a população

Um caso que deveria ser de Violência Doméstica acabou com danos ao patrimônio público na noite de ontem, 20, no Jardim Paranapungá.

A polícia foi chamada para atender uma ocorrência, por volta das 23h desta sexta-feira. O denunciante era um homem, que dizia ter sido agredido pela companheira, que estaria embriagada.

Chegando lá, a polícia perguntou se ele representaria conta a mulher. Ele disse que não e que apenas teria chamado a polícia para que os oficiais “aconselhassem” a mulher.

Um dos policiais informou ao homem que, segundo a versão apresentada por ele, estaria ocorrendo um crime de perturbação do sossego e que ambos seriam encaminhados à delegacia.

Nesse momento o homem ficou enfurecido e xingou o policial. “Faz o que você quiser, seu f… da p…”, teria gritado.

Diante disso, foi detido por desacato, mas resistiu à prisão. Foi necessário o uso da força para colocar o homem dentro da viatura.

Enquanto isso, a mulher do sujeito foi para cima de um dos policiais, com socos. Ela também foi detida à força.

Uma vez na parte traseira da viatura, o homem começou a dar chutes na porta para tentar sair e danificou o veículo. Os policiais chamaram a Força Tática para detê-lo, já que não era seguro conduzir o preso no carro danificado.

Tampa traseira do compartimento de presos danificada. Fotos: Divulgação

Uma testemunha acompanhou a PM e contou a história: ela e a mulher estavam bebendo em casa quando o marido da amiga chegou e deu dois tapas na cara da esposa. A mulher só teria empurrado o homem para se defender.

O caso foi registrado na Depac como Dano ao Patrimônio Público, Resistência, Desacato e Lesão Corporal Dolosa (Violência Doméstica).

Comentários