25/04/2013 15h26 – Atualizado em 25/04/2013 15h26

Homem é preso suspeito de vender submetralhadora e fuzil em MS

Armas teriam sido usadas na morte homem que teve corpo achado domingo. Equipamento estava com silenciador, carregador e 10 munições

Da Redação

A Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais (Cigcoe) apreendeu uma submetralhadora 9 mm na manhã desta quinta-feira (25) em Campo Grande. A arma estava escondida no quintal da casa de um homem de idade não identificada. Ele também é suspeito de vender um fuzil calibre 762 para duas pessoas envolvidas em um crime de homicídio.

De acordo com informações da Cigcoe, o flagrante aconteceu por volta das 6h no bairro São Francisco. Após denúncias, os agentes abordaram um veículo que circulava no bairro e que tinha dois homens como ocupantes. Eles foram revistados, mas nada foi encontrado. Aos policiais, eles disseram que eram usuários de drogas e indicaram o endereço onde compravam o entorpecente.

A polícia foi ao local e encontrou a arma escondida em uma mochila no quintal. A submetralhadora estava com silenciador, carregador para 60 muniçõs e mais 10 munições. O homem foi preso em flagrante.

O suspeito confessou ter vendido um fuzil calibre 762 para um homem de 31 anos, que foi preso juntamente com o irmão de 28 anos por homicídio e ocultação de cadáver, além de porte de arma, na quarta-feira (24).

O tenente da Cigcoe, Gustavo Gonçalves informou que a arma com alto poder de destruição é de uso restrito das forças armadas. O caso foi registrado na 1ª Delegacia de Polícia Civil como porte de arma de uso restrito.

Investigações
Os suspeitos que teriam comprado armas do homem preso nesta quinta-feira são investigados pela morte de um homem, ainda não identificado, cujo corpo foi achado na última terça-feira.

Eles são filhos de um ex-policial civil, exonerado no ano de 1996, quando era lotado no 6º distrito de Campo Grande e atuava como agente de telecomunicações.

(*) Com informações de G1 MS

Arma presa com suspeito em Campo Grande (Foto: Maressa Mendonça/ G1 MS)

Comentários