08/03/2018 08h08

Segundo a investigação policial, o casal morava junto e o motivo da briga foi ciúme.

Redação

Um homem de 25 anos foi condenado ontem a 15 anos e 6 meses de prisão por matar a namorada com uma facada no peito na frente dos dois filhos dela em 24 de janeiro de 2015, na casa onde moravam há pouco tempo em Água Clara.

De acordo com a denúncia, após ingerir bebida alcoólica, o acusado iniciou uma discussão com a vítima por ciúmes. Em um determinado momento, ele foi até a cozinha, pegou a faca de açougueiro e apunhalou no peito da companheira. Testemunhas disseram que os filhos da vítima presenciaram os fatos.

Na época do crime, o acusado confessou o crime espontaneamente. Ele não tinha antecedentes criminais até o fato, mas por ele ter fugido e sido recapturado em 2016, a juíza Thielly Dias de Alencar Pithan e Silva não permitiu a substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direitos.

Na denúncia do Ministério Público do Estado (MPE) consta a qualificadora do motivo fútil, por causa da discussão banal entre o acusado e a vítima – sendo essa razão que o fez decidir tirar a vida da mulher. Há provas de materialidade e indícios suficientes de autoria; além da confissão do próprio réu.

O acusado foi levado a julgamento no Tribunal do Júri e o Conselho de Sentença decidiu pela culpa dele pelo crime de homicídio qualificado. A juíza o condenou a 15 anos e 6 meses de reclusão, em regime inicial fechado.

O Conselho de Sentença considerou desfavorável a culpa, uma vez que o réu agiu com alto grau de reprovação ao golpear letalmente a vítima na residência em que moravam e na presença dos filhos dela. As consequências também foram consideradas prejudiciais, já que as crianças foram privadas do convívio da mãe.

(*) G1

Comentários