14/01/2019 07h58

Motociclista embriagado bateu em um carro antes de atropelar e matar bombeiro militar

Gisele Berto

O homem que atropelou e matou o cabo Edivaldo Alcides Benite no sábado, 12, causou outro acidente na avenida Clodoaldo Garcia pouco antes do acidente que vitimou o militar.

De acordo com a polícia, R.S.V, de 34 anos, vinha com sua motocicleta pela rua Tiradentes, sentido Santos Dumont, quando atingiu um carro que estava estacionado. Pouco depois, causou o atropelamento que matou o bombeiro e feriu a esposa dele, Rosinei de Jesus Silva Benite.

Além disso, a moto de R., enquanto deslizava pelo asfalto, sem controle, atingiu um entregador de pizza que passava no local. Depois de atropelar o militar, o homem teria tentado fugir do local a pé, mas foi contido por populares.

Quando questionado sobre o que tinha acontecido, o autor disse que “não viu nenhum pedestre” e que estava levando alguém junto com ele na moto, mas não disse quem era.

Em depoimento à polícia, R. admitiu que bebeu, mas não permitiu o teste do bafômetro. Questionado sobre a quantidade de bebida que ingeriu, ele respondeu “muito”.

Ele foi autuado por homicídio culposo na direção de veículo automotor e por lesão corporal culposa.

OUTRA OCORRÊNCIA NO MESMO LOCAL

Enquanto a polícia fazia o atendimento às vítimas do acidente que vitimou o cabo Alcides um outro motociclista, que pilotava uma CB500, tentou furar o bloqueio policial na Avenida Clodoaldo Garcia.

Bastante exaltado, o homem foi contido pelos policiais. Ele questionava o motivo da abordagem. Ele foi colocado no compartimento de presos da viatura.

De acordo com o boletim de ocorrência, o condutor não apresenta sinais visíveis de embriaguez e não foi realizado o teste do etilômetro. Foi indiciado e liberado em seguida.

ESPOSA TEVE ALTA

De acordo com o Hospital Auxiliadora, a esposa do bombeiro Alcides, Rosinei, teve alta na noite de ontem, domingo, em torno das 22h.

O velório do cabo Alcides acontece na Capela Cardassi. Às 10h será levado para Araçatuba, onde será cremado.

DEIXOU TRÊS FILHAS

O cabo Edvaldo Alcides Benite nasceu em 30 de dezembro de 1969, aqui mesmo em Três Lagoas.

Ingressou no Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul em agosto de 1998. Trabalhou na cidade de Fátima do Sul, passando pelas cidades de Bataypora e Paranaíba nos anos de 2001 e 2004.

Desde o dia 5 de maio de 2005 trabalhava no 5°GBM na cidade de Três Lagoas.

Militar com 20 anos de serviço, possuía o curso de Formação de Brigada Militar de prevenção e combate a incêndio Florestal e o Treinamento de Resgate e Atendimento Pré Hospitalar.

O militar era casado com Rosinei de Jesus Silva Benite, residia em Três Lagoas, deixou três filhas maiores de idade e netos.

Bombeiro Edivaldo Alcides Benite morreu em decorrência dos ferimentos causados após ser atropelado por um motociclista embriagado. Foto: reprodução Facebook.

Comentários