Ele já era investigado ter estuprado, mantido em cárcere privado e ameaçado a mesma mulher, que tinha diversas ordens restritivas conta ele; ela quase teve as mãos decepadas na madrugada de hoje

Após tentar matar a ex-mulher a golpes de facão na madrugada desta sexta-feira (12), rapaz de 26 anos é procurado pelas forças policiais de Costa Rica e região. Contra ele já havia mandado de prisão em aberto por crimes de violência doméstica contra a ex e ele já era considerado foragido. As informações e fotos são do site MS Todo Dia.

O delegado titular da Delegacia de Costa Rica, Gustavo Mendes, relatou ao MS Todo Dia que as equipes levantam informações e estão em diligências para localizar o suspeito. “As forças policiais já foram avisadas e estão realizando cercos na região”, afirmou. Além disso a polícia também trabalha ouvindo familiares e testemunhas do crime.

Segundo a autoridade policial, familiares da vítima, são ouvidos, inclusive a mãe dela que teria presenciado o crime. “A perícia no local já foi realizada, a arma utilizada no crime também já foi apreendida e será encaminhada para exame pericial”, confirmou o delegado Gustavo. O caso é tratado como tentativa de feminicídio, majorado se praticado na presença de descendente ou ascendente da vítima.

Arma usada no crime foi apreendida

Tentativa de feminicídio

Segundo o registro, equipes da Polícia Militar foram acionadas pela mãe da jovem de 20 anos. Ela contou que a filha estava deitada na cama com o filho de dois anos, quando o autor invadiu a casa armado com o facão. Ele começou a golpear a vítima, que utilizou os braços para se defender, em seguida fugiu pulando o muro.

A vítima sofreu ferimentos graves e quase teve as mãos decepadas. Ela passa por procedimentos na Santa Casa em Campo Grande. A mãe contou para a polícia que um vizinho ajudou a socorrer a jovem e a levar primeiramente ao hospital em Costa Rica. Com as informações do crime, as equipes policiais realizaram rondas.

A princípio havia informação de que o suspeito estaria em um Astra prata. Forças policiais das cidades vizinhas também foram avisadas sobre a fuga, caso ele tentasse sair de Costa Rica. A vítima disse que o ex tem um Corsa Classic prata e as forças policiais nas barreiras sanitárias também foram avisadas.

Mandado de prisão em aberto

O suspeito da tentativa de feminicídio já era investigado por estupro, cárcere privado, ameaça e descumprimento de medidas protetivas contra mesma vítima e, inclusive, estava com ordem de prisão expedida recentemente pela Justiça. Entre os meses de março e maio, a jovem registrou três boletins de ocorrência.

Conforme apurado pelo MS Todo Dia, foram concedidas medidas protetivas em no dia 13 de março e o suspeito foi cientificado de que não poderia se aproximar e manter contato com a vítima no dia 15 de abril. No dia 4 de maio, a vítima registrou ocorrência informando que foi ameaçada, e em 16 de maio, registrou outra ocorrência afirmando que foi estuprada e mantida em cárcere privado.

O delegado de polícia solicitou a prisão preventiva, que foi determinada pela justiça, motivo pelo qual o homem estava com mandado de prisão em aberto.

Estupro e cárcere

A vítima relatou que se separou do rapaz e que ambos compartilham a guarda do filho. Em determinado dia, ele pediu para o irmão buscar a criança, para que passassem o final de semana juntos. Mais tarde, entrou em contato com a ex-mulher alegando que a criança seria internada na Fundação Hospitalar e que precisava dos documentos.

Ele então pegou documentos com a vítima e supostamente retornou ao hospital. No entanto, momentos depois ligou novamente para a vítima, alegando que o menino seria transferido para Mineiros (GO) e que ele precisava se encontrar com ela. Na frente do hospital, a mulher foi abordada pelo ex, que estava com o filho no carro.

Agindo de forma violenta, ele a forçou a entrar no veículo e seguiu sentido região do Copo Sujo, onde sacou uma arma tipo pistola e ameaçou atirar no filho caso a vítima saísse do carro. Ele então retornou para a cidade, parou e estuprou a vítima perto de um córrego. Em seguida, a levou para a casa dele, onde a trancou em um quarto e voltou a violentá-la sexualmente.

Como se não bastasse, o homem ainda encontrou em contato com a ex-sogra para afirmar que a filha dela e a criança estavam bem e que o menino estava tomando soro. Na verdade, estavam todos na casa dele. O homem manteve a vítima trancada até o dia seguinte, quando a liberou dizendo que se a polícia fosse acionada, mataria a criança.

Dias depois, a vítima mudou a versão, mas ainda não se sabe se estava sendo ameaçada e o fez por medo. Em novo depoimento prestado à Polícia Civil de Costa Rica, a mulher confessou que mentiu em parte da história. Na época, o delegado Cleverson Alves dos Santos disse ao MS Todo Dia que ela manteve a versão do estupro, mas disse que a ameaça contra o filho não aconteceu.

FONTE: MS TODO DIA

Comentários