Apenas neste ano a polícia registrou quase 1200 ocorrências de violência doméstica; 296 casos foram atendidos pelo CREAS e 10 tentativas de feminicídio foram registradas, culminando com o assassinato da professora Angela Maria Jorge


Cerca de cem homens se reuniram na manhã de hoje, 6, no auditório do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais para falar sobre violência contra a mulher.

O encontro foi alusivo ao Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, incluído na Campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, promovida pelas equipes da Secretaria de Assistência Social neste mês de dezembro.

A ideia é conscientizar os homens sobre os direitos das mulheres e sensibilizá-los a respeito dos dados de violência doméstica.

Apenas neste ano foram registradas em Três Lagoas 1.396 ocorrências policiais de casos de violência contra a mulher. O CREAS registrou 296 atendimentos à mulher vítima de violência. Na cidade, ocorreram 10 tentativas de feminicídio e a escalada de violência culminou com a morte da professora Angela Maria Jorge, assassinada por seu ex-companheiro na saída de uma festa.

Feminicídio

A data de 6 de dezembro foi oficializada como o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência Contra as Mulheres em alusão a um caso de múltiplo feminicídio ocorrido na cidade de Montreal, no Canadá, em 6 de dezembro de 1989, quando um estudante, de 25 anos, invadiu uma sala de aula da Escola Politécnica local e exigiu que todos os homens saíssem para assassinar todas as mulheres daquela turma.

Após o ato criminoso, o autor dessa brutalidade, Marc Lepine se suicidou, deixando uma carta explicando os motivos que o levaram a isso. Ele não admitia que mulheres frequentassem o curso de Engenharia.

Comovidos e chocados com este caso, um grupo de homens canadenses criou a Campanha do Laço Branco (White Ribbon Campaign), um movimento que visa fomentar a igualdade de gêneros e uma nova visão sobre a masculinidade.

Durante o encontro de homens apresentou-se o Quarteto de Cordas, da Diretoria de Cultura, regido pelo maestro e integrante do grupo, Francis David Vidal e contou com a presença do vice-prefeito Paulo Salomão; diretor de Proteção Social Especial, Luis Fernando Tondeli Fochi; e a coordenadora do CREAS, Rafaela Marques de Oliveira.

Na oportunidade, o cirurgião dentista, lotada na Unidade de Saúde do Santo André, Ari Ferreira de Castro Filho, a convite da SMAS, falou sobre “Violência Contra a Mulher Também é Papo de Homem”.

“É péssimo Três Lagoas ter números tão elevados. Diante disso, podem contar com o apoio da Prefeitura de Três Lagoas na mobilização contra todo o tipo de violência”, expressou o vice-prefeito.

“Quanto mais houver casos de violência contra a mulher, mais devem ser nossas ações de mobilização para sensibilizarmos as pessoas e fazer frente a essa triste realidade”, concluiu Paulo Salomão.

Comentários