27.2 C
Três Lagoas
quinta-feira, 2 de dezembro, 2021

HOSPITAIS COLAPSADOS

Infelizmente não sou portador de boas notícias. O surto do coronavírus colapsou o atendimento na rede hospitalar de todo Mato Grosso do Sul

(*) Ricardo Ojeda

IMPLORANDO

A situação está tão dramática que que o conselheiro da Cassems, Roberto Magno Botarelli gravou uma mensagem, (veja no arquivo) implorando para as pessoas colaborarem com as determinações do decreto estadual e de vigilância sanitária.

VAI FALTAR MEDICAMENTOS

Botarelli disse que conversou com a direção do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, onde a situação é caótica! As UTI’s lotadas, enfermarias estão lotadas, sem vagas para atender novos pacientes. Os medicamentos sedativos para entubar o paciente já começam faltar para atender novos casos.

SAIR, SÓ O NECESSÁRIO

A maneira de colaborar, disse o conselheiro é as pessoas ficarem em casas, saindo o estritamente necessário. “Se alguém testar positivo para covid, poderá ficar sem atendimento”, disse o conselheiro.

AGENDA DESVIADA

Inclusive o secretario Geraldo Resende, titular da Saúde do Estado estava programado vir na próxima sexta-feira para Três Lagoas, porém no final da tarde desta quarta-feira ele enviou mensagem ao titular do Caldeirão, dizendo que iria mudar de direção. “Preciso resolver situação emergencial em Dourados”, disse.  

FILA DE ESPERA

Para vocês terem uma ideia da gravidade do quadro, a fila de espera por leitos nesta quarta-feira em Mato Grosso do Sul é de 176 pacientes com SRAG – Síndrome Respiratória Aguda Grave.  

SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE

Os sintomas da SRAG, são:  febre, tosse seca, dor de cabeça, dores musculares e dificuldade para respirar e não existe tratamento, exceto cuidados médicos e paliativos. O ARS é um vírus transmitido por gotículas que penetram no ar quando alguém com a doença tosse, espirra ou fala.

FALTAM LEITOS

A situação está tão preocupante por falta de leitos, como também que não tem mais material humano, caso o governo consiga abrir novos leitos. As equipes de profissionais estão exauridas, no limite.

HOSPITAL DE CAMPANHA

Até o hospital Cassems chegou à exaustão, inclusive está sendo montado um hospital de campanha para atender a demanda. Em breve novos leitos estarão à disposição da comunidade.

INFORMATIVO TENSO

A situação é tão tensa que um vídeo foi gravado pela Comunicação da Cassems orientando a sociedade da gravidade. Pode inclusive faltar até remédios para tratamento dos pacientes.

NOVO DECRETO

Por conta desse quadro caótico, o governador Reinaldo Azambuja, juntamente com o secretário Geraldo Resende assinaram um novo decreto apertando ainda mais o horário do toque de recolher, restringindo os horários nos finais de semana.

APERTANDO O CERCO

Com o novo “Toque de Recolher”, as pessoas estão proibidas de saírem nas ruas a partir das 16 horas, nos finais de semana, sábado e domingo. No antigo decreto, comércios fechavam às 16 horas, porém o toque de recolher seguia até 20h. Agora somente atividades essenciais podem funcionar das 16h às 5h.

CORDA NO PESCOÇO

A medida não agradou os comerciantes, principalmente os donos de bares, pizzarias, lanchonetes, restaurantes e afins, que já estão com a corda no pescoço, devido a série de restrições impostas pelos sucessivos decretos.

MEDIDAS AMARGAS

Tem alguns que já reduziu a equipe com demissões, mas infelizmente as medidas amargas não estão surtindo efeitos esperados. Alguns já estão com a corda no pescoço, literalmente falando.

NO VERMELHO

Àqueles que ainda estão com os nomes limpos e tem algum imóvel para garantias, ainda conseguem créditos nos bancos, porém a grande maioria estão no vermelho.

COMUNICADO DA ACITL

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas, Fernando Jurado divulgou um comunicado no início da noite desta quarta-feira. O dirigente empresarial reiterou que o governador Reinaldo Azambuja resolveu retirar o direito de grande parte do comércio de funcionar a partir desta sexta-feira, até dia 4 de abril.

SAÍDA LEGAL

Conforme a nota o decreto publicado, esgotaram as tentativas de frear o Lockdown. “Seguiremos atentos, ouvindo as nossas Federações, e tentando encontrar uma saída legal para a situação”.

DIREITO DE TRABALHAR

O comunicado prossegue dizendo que o novo decreto retira o direito de a classe trabalhar. Por conta disso a Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas vai apresentar imediatamente documento aos Governos, tanto estadual, quanto municipal, para isenção de impostos, alvará de funcionamento e taxas.

SEM EFICÁCIA

“Gostaríamos de registrar que sustentamos sempre que o Lockdown não tem eficácia comprovada no controle da Pandemia, que foi inclusive desaconselhada por importantes membros da OMS, mas seguimos reconhecendo que a situação é extremamente crítica e manifestando nosso sentimento de pesar por cada uma das 107 pessoas que perderam sua vida”, finaliza o comunicado.

Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.