01/06/2019 08h47

Lei foi sancionada pelo Governo de Mato Grosso do Sul nesta sexta-feira

Campo Grande News

Virou lei em Mato Grosso do Sul a obrigatoriedade de hospitais e maternidades repassarem orientações de primeiros socorros em caso de engasgamento e outras situações a pais de bebês recém-nascidos.

A medida foi sancionada pelo governo estadual nesta sexta-feira (dia 31). A legislação prevê que os procedimentos deverão ser ministrados antes da alta dos recém-nascidos, mas a participação dos pais não é obrigatória.

As instituições de saúde terão de colocar na parede, em local visível, cópia da lei para que quem passe tenha conhecimento do conteúdo. Não está especificado qual órgão vai fiscalizar o cumprimento da lei.

Independentemente da medida, atualmente, o Corpo de Bombeiros já auxilia pais que passam por situação de engasgamentos de bebês, pelo telefone, nos minutos antes de o socorro chegar.

Segundo o subtenente do Corpo de Bombeiros, Marcelo Sampaio, a primeira ação de pais e mães nestes casos tem de ser acionar o 192 ou 193. Durante o caminho, o atendente passará orientações para os primeiros socorros.

“Muitas vezes é imprescindível para salvar a criança, porque os pais já ajudam no atendimento antes da emergência chegar”. Reanimação, respiração ‘boca boca’ e compressões são algumas das medidas.

A intenção com a lei, proposta pelo deputado Márcio Fernandes (MDB), é preparar pais em casos de emergência, como engasgamento ou aspiração de corpos estranhos, que podem ocasionar a morte de bebês.

“Muitas vezes os pais não tem ideia do que fazer, como proceder para salvar o bebê. Medidas simples podem fazer a diferença em momentos de aflição”, ressaltou o parlamentar no dia que a proposta foi aprovada na Assembleia Legislativa de MS, em maio em 2019.

Foto ilustrativa / Free Images

Comentários