09/04/2015 17h12 – Atualizado em 09/04/2015 17h12

Estratégia faz parte do plano de incentivo à industrialização dos produtos de origem animal e vegetal determinado pelo governador Reinaldo Azambuja

Da Redação

A Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) está investindo na tecnologia para aferir o valor agronômico do solo e na certificação sanitária para tornar os produtos da cadeia industrial da agropecuária de Mato Grosso do Sul mais competitivos no mercado de alimentos.

A estratégia faz parte do plano de incentivo à industrialização dos produtos de origem animal e vegetal determinado pelo governador Reinaldo Azambuja.

O diretor-presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, falou sobre o suporte do governo, em entrevista ao Jornal do Rádio, da Educativa FM 104 e Jornal da TVE.

De acordo com o dirigente da Iagro, das 89 indústrias frigoríficas instaladas no Estado, 11 já estão aptas a levar seus produtos aos mercados de todo País com certificação de equivalência concedido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

“A questão sanitária é fundamental e o selo de inspeção dá segurança às indústrias e principalmente ao consumidor”, disse Luciano Chiochetta.

Segundo o diretor-presidente da Iagro, para aderir ao sistema de inspeção equivalente ao SIF (Sistema de Inspeção Federal), a Iagro se submeteu a auditorias do MAPA para avaliação da infraestrutura necessária às atividades de inspeção e à capacidade dos estabelecimentos de garantir a inocuidade dos produtos.

“O Sisbi faz parte do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária e tem o objetivo de padronizar e harmonizar os procedimentos de inspeção de produtos de origem animal, para garantir a procedência e a segurança alimentar”, explicou.

De acordo o dirigente da Iagro, a certificação respeita as especificações regionais de produtos de origem animal em diferentes escalas de produção e permite a inserção no mercado formal (local regional e nacional) de uma categoria de produtos que necessita ainda de regulamentação específica.

Com a adesão, os produtos de Mato Grosso do Sul podem ser comercializados em todo o Brasil, diferentemente dos que possuem apenas selos municipais ou estaduais, cuja comercialização é apenas interna.

OBJETIVO DA INSPEÇÃO

A inspeção de produtos de origem animal é realizada em todo estabelecimento que recebe abate animais de diferentes espécies, ou industrialize produtos cárneos. Também são inspecionadas as indústrias que recebem leite, pescado, mel, cera de abelha para beneficiamento ou industrialização, e os ovos in natura ou para industrialização.

A inspeção higiênico-sanitária tem por objetivo fundamental a preservação da saúde pública, proporcionando à população o acesso a alimentos seguros, reduzindo os riscos de transmissão de zoonoses e de toxinfecções alimentares.

AGROINDÚSTRIA

Os cuidados com a qualidade dos produtos de origem vegetal em Mato Grosso do Sul começam pela análise do solo. De acordo com o Gerente da área vegetal, Félix Castro, hoje a Iagro já dispõe de laboratórios para diversos tipos de análise fertilidade de solo, com medições de
Macronutrientes (pH, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, alumínio e matéria orgânica) e micronutrientes (ferro, manganês, cobre e zinco), além análise física para determinar percentuais de terra, areia, argile.

“Antes de começar as atividades agropecuárias é importante fazer a análise do solo. O nosso Laboratório de Análise de Fertilidade de Solo é submetido ao “Controle Oficial de Qualidade e o agricultor tem que saber onde está pisando”, diz o diretor-presidente da Iagro.

Os técnicos lembram que a análise de solos é extremamente importante para se conhecer o potencial ou deficiências da terra, possibilitando uma recomendação técnica correta de adubação e calagem, imprescindível à economicidade e competitividade da atividade agropecuária. Hoje no custo da produção as despesas com calcários e fertilizantes chegam até a 20%.

*Noticias MS

Incentivo à qualidade dos produtos é estratégia de Governo para aumentar competitividade. (Foto:Divulgação/Notícias MS)

Comentários