21/05/2015 15h27 – Atualizado em 21/05/2015 15h27

Caso não haja avanço e nem sinalização positiva quanto às demandas da categoria, a greve dos federais que deve acontecer na primeira semana de junho

Fábio Jorge

Os servidores do IBAMA (Instituto Brasileiro de Apoio ao Meio Ambiente) de Mato Grosso do Sul cruzaram os braços hoje, quinta-feira (21), e aderiram à paralisação que ocorre em todo país, obedecendo a decisão deliberada durante o Encontro Nacional dos Servidores da Carreira de Especialista em Meio Ambiente e PECMA, realizado nos dias 12 e 15 em Brasília.

O manifesto é uma forma de pressionar o Governo Federal quanto à Mesa de Negociação Setorial com o Ministério do Planejamento e Gestão que acontece nesta quinta-feira.

Segundo o presidente da Associação dos Servidores do Ibama (Asibama-MS) e diretor do Sindsep-MS, Jurandir de Freitas, hoje será apresentada a proposta de reestruturação do Plano de Cargos e Carreiras da CEMA/PECMA, que foi elaborada pelo Grupo de Trabalho desde 2009 e aprovada com alterações durante o encontro. Entre as principais demandas está a diminuição das diferenças entre os três níveis de carreira da categoria (Nível Superior, Intermediário e Auxiliar).

“Estamos pedindo, por exemplo que o salário do nível intermediário corresponda a 70% do nível superior e para o nível Auxiliar, 70% do nível médio”, explicou Jurandir.

Ontem (20), representantes da Ascema Nacional e da CONDSEF, se reunirão com o Secretário-Executivo do Ministério do Meio Ambiente, Francisco Gaetani, para apresentar a proposta aprovada no Encontro e solicitar o apoio dos gestores da área ambiental nas negociações com o governo.

Caso não haja avanço e nem sinalização positiva sobre as propostas da categoria, Jurandir alerta para a greve dos federais que deve acontecer na primeira semana de junho e que os servidores do Ibama-MS
já estarão trabalhando em estado de greve. A mobilização em Campo Grande contou com o apoio do Sindsep-MS que foi representado pelo diretor Jorge Guimarães.

(*) com informações Assessoria Sindesp MS

Os sevidores aderiram à paralisação que já acontece em outros estados do país. (foto: divulgação)

Comentários