05/09/2014 16h16 – Atualizado em 05/09/2014 16h16

O filho do idoso apresentou um documento emitido pelo médico Henrique Ascenço, do Centro de Oncologia e Hematologia de Mato Grosso do Sul, apontando falha no processo de infusão do medicamento

Da Redação

Familiares de Adolfo Coelho de Souza, 82 anos, que morreu durante tratamento de câncer na Santa Casa de Campo Grande, relataram erro médico durante o procedimento de quimioterapia. Ontem (04), eles foram ao 1º Distrito Policial para prestar depoimento.

Segundo a delegada Ana Cláudia Medina, que já investiga outros quatro casos semelhantes, o filho do idoso apresentou um documento emitido pelo médico Henrique Ascenço, do Centro de Oncologia e Hematologia de Mato Grosso do Sul, apontando falha no processo de infusão do medicamento.

“Parece que foi um erro na infusão. O procedimento que deveria ser feito ao longo de cinco dias, foi feito em poucas horas”, explica Medina. A vítima foi medicada no dia 14, e logo em seguida apresentou reações adversas, morrendo 15 dias depois.

No dia da morte (29), o filho do idoso suspeitou do caso depois que um médico se recusou a assinar o óbito. Desconfiado, ele acionou o polícia. “Vamos pedir agora toda a documentação do idoso junto à Santa Casa, para que possamos iniciar as investigações. Também pretendo ouvir uma mulher que seria a cuidadora do idoso, e o acompanhava durante a noite, no período de internação”, completa.

Além desta, a 1ª DP também apura as mortes de Carmen Insfran Bernad, Norotilde Araújo Greco e Maria da Glória Guimarães. A três morreram após quimioterapia aplicada por profissionais do Centro, empresa que prestava serviços à Santa Casa, mas que depois que os casos vieram à tona, teve o contrato cancelado. A unidade de saúde já anunciou que vai interromper os serviços do setor.

(*) Com informações de Campo Grande News

Comentários