Em reunião realizada ontem a comissão emitiu nova recomendação para que as atividades presenciais permaneçam suspensas até 30 de abril; entidade substituiu aulas nos campi por atividades não presenciais

O Conselho Superior do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) decidiu nesta segunda-feira, 30, aprovar a manutenção do calendário letivo com a substituição das aulas nos campi por atividades não presenciais. A Resolução nº 9 foi publicada logo após a reunião do colegiado realizada por webconferência.

A medida deve durar enquanto for mantida a suspensão das atividades presenciais causada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no país.

As definições sobre o formato e o cronograma de aplicação das atividades não presenciais serão elaborados pela Pró-Reitoria de Ensino (Proen), em parceria com os campi.

Na tarde desta terça-feira, 31, está prevista a realização de uma reunião entre diretores-gerais, diretores de ensino e Proen para debater o tema.

Suspensão – As aulas foram suspensas, inicialmente, de 18 de março a 1º de abril, em decorrência das medidas contra o avanço da pandemia no país, por recomendação da Comissão de Organização de Campanhas de Conscientização dos Riscos e Medidas de Prevenção ao Coronavírus (Covid-19) do IFMS. 

Em reunião realizada na manhã desta segunda-feira, 30, também por webconferência, a comissão emitiu nova recomendação para que as atividades presenciais permaneçam suspensas até 30 de abril. 

O objetivo é possibilitar que estudantes e professores continuem atendendo as recomendações de isolamento social feitas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como forma de evitar o contágio e a disseminação do vírus.

“Não há no mundo uma instituição de ensino que tenha feito gestão de risco para a situação que estamos vivendo. Nunca imaginamos que um inimigo invisível nos atacaria, nos afastaria dos estudantes, de nossos amigos, de nossas famílias, de nosso local de trabalho e nos trancaria em nossas casas”, ponderou a reitora, Elaine Cassiano.

A reitora destaca que as decisões tomadas primam pela saúde da comunidade escolar e garantem a manutenção das atividades de ensino.

“Nós decidimos pela saúde dos nossos estudantes e servidores. Temos mães nos procurando pedindo para as aulas não retornarem até o fim da pandemia. É um momento delicado. Não foi uma decisão fácil. Haverá impactos operacionais, mas estamos na reitoria para servir. A decisão tomada pelo conselho vai resultar em um bom trabalho”, destacou.

Os servidores do IFMS permanecem desempenhando suas funções em trabalho remoto (home office).

Acesso à internet – Como forma de atender aos estudantes que não possuem acesso à internet, o IFMS estuda a possibilidade de ofertar auxílios para aqueles que, comprovadamente, não possuam recursos para acessar as atividades online.


Comentários