16/08/2017 16h11

Manifestantes liberaram estradas depois que o STF negou pedidos do governo de MT, para obter indenização da União pela desapropriação de terras para demarcação de territórios indígenas

Redação

Os indígenas que bloqueavam diversas rodovias, em vários municípios de Mato Grosso do Sul, desde a madrugada desta quarta-feira (16), liberaram as estradas por volta das 11h30 (de MS).

Os manifestantes queriam chamar a atenção para o julgamento realizado nesta manhã no Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília. As rodovias foram liberadas após a decisão da Corte, favorável aos indígenas.

Por unanimidade, os ministros negaram pedidos do governo de Mato Grosso, para obter indenização da União pela desapropriação de terras para demarcação de territórios indígenas.

Na mesma sessão, o STF também decidiu que o estado de Mato Grosso deve pagar à União R$ 100 mil pelos custos de defesa arcados pelo governo no processo.

Pontos onde teve interdição

Cerca de 50 indígenas interditam o quilômetro 26, em Mundo Novo, da BR-163. A rodovia também foi interditada nos quilômetros 304 e 308, perto de Rio Brilhante, na região sul do estado.

A BR-163 foi interditada ainda no quilômetro 215, em Caarapó e no, 060, em Itaquiraí.

Também teve bloqueio no quilômetro 541 da BR-262, em Miranda, com 150 índios, e no quilômetro 526 da BR-060 em Nioaque.

(*) G1.Com

PRF em monitoramento à interdição em Rio Brilhante (Foto: PRF/ Divulgação)

Índios em protesto na BR-163, em Caarapó (Foto: PRF/ Divulgação)

Comentários