14/04/2014 09h14 – Atualizado em 14/04/2014 09h14

A entrega foi realizada neste sábado (12/04) no EcoSesi Observatório Socioambiental, em Bonito (MS)

Da Redação

As indústrias Semalo e Coca-Cola Femsa receberam, na manhã deste sábado (12/04), no EcoSesi Observatório Socioambiental, em Bonito (MS), o Selo Ambiental do PSE (Programa Senai de Ecoeficiência). Segundo o diretor-técnico do Senai, Dax Goulart, o evento marcou também a entrega do relatório de diagnóstico realizado nas indústrias, que analisou indicadores ambientais gerenciais e operacionais das empresas.

Ele destacou que a participação das indústrias demonstra o interesse em avançar ainda mais nas questões que envolvem o meio ambiente. “Com a entrega do Selo, o Senai sinaliza claramente para as indústrias, Governo e sociedade, que está atento à questão ambiental, buscando conciliar a preservação ambiental e desenvolvimento. A metodologia criada pelo Senai é inovação nesse sentido e estimula as empresas a desenvolverem ainda mais ações com foco na preservação”, declarou.

Para o diretor-industrial da Semalo, André Luís Savoia, o Selo tem grande importância para todos da indústria. “Com certeza vem ao encontro das diretrizes da empresa. É uma forma de contribuirmos ainda mais para a preservação e nos coloca disponíveis a prosseguir no processo”, disse, destacando que a equipe conta com o biólogo José Luiz Gonçalves, responsável técnico, que atua constantemente para melhoria na área ambiental.

Já o gerente comercial e de operações da Coca-Cola Femsa, Adésio Brandão, disse que o Selo representa credibilidade. “Sem dúvida representa credibilidade para o negócio, para o processo produtivo. Estamos hoje orgulhosos de recebermos o Selo”, pontuou.

PSE

As indústrias receberam o Selo Ambiental do PSE conforme parâmetros estabelecidos no Decreto Estadual de número 13.606, de 25 de abril de 2013, que prorroga até 2028 os benefícios fiscais para as indústrias do Estado, permitindo ampliação do percentual de incentivo já concedido mediante efetivação do plano técnico de sustentabilidade ambiental das empresas.

Desta forma, os Selos Ambientais do Senai, que integram o PSE, classificam a eficiência ambiental das indústrias, permitindo a ampliação, em até 5%, do percentual do benefício fiscal já concedido mediante à efetividade do plano técnico de sustentabilidade ambiental das empresas.

O Programa pode conceder 5 selos ambientais (verde, azul, laranja, marrom e branco), sendo que cada um tem sua equivalência entre a pontuação e o percentual do incentivo fiscal concedido. O Selo Verde tem conceito entre 81 a 100 pontos e concede à indústria 5% a mais de incentivo fiscal, enquanto Selo Azul tem conceito entre 61 a 80 pontos e incentivo fiscal de 4%, o Selo Laranja tem conceito entre 41 e 60 pontos e 3% de incentivo fiscal, o Selo Marrom tem conceito entre 21 e 40 pontos e incentivo fiscal de 2% e o Selo Branco tem conceito entre 1 a 20 pontos e incentivo fiscal de 1%.

A pontuação poderá ser revista a qualquer tempo, na vigência do benefício fiscal ou na vigência do prazo estabelecido para execução do processo de auditoria, adequando-se a um novo resultado, aumentando ou diminuindo o nível do selo no limite entre 1% e 5%. Caso haja uma infração ou descumprimento, mesmo que parcial, em relação à Legislação Ambiental e ao Licenciamento Ambiental, a indústria perderá o selo ambiental concedido. O Senai, em parceria com o EcoSesi Bonito, desenvolve o Programa de Ecoeficiência, que dá suporte aos selos ambientais destinados às indústrias do Estado.

EcoSesi

O EcoSesi Bonito é uma proposta inovadora e inédita do setor industrial com o espaço funcionando como um centro de informação e documentação da indústria estadual nos temas relativos ao meio-ambiente e às boas praticas de gestão ambiental. A implantação do Observatório Socioambiental também serviu para modernizar e ampliar a estrutura física da área do Sesi em Bonito, tornando o espaço capaz de receber projetos voltados à ampliação da consciência e gestão socioambientais das empresas sul-mato-grossenses.

Na prática, o local, que foi adquirido em abril de 1998 para expandir a atuação do Sesi na região, transformou-se em um instrumento sistemático de pesquisa, organização e difusão de temas socioambientais, articulando pesquisa, ensino e prática social com a formação e capacitação de empresários e gestores de indústrias do Estado. O local vai capacitar empresários e gestores de indústrias, ampliando a consciência socioambiental das empresas do Estado, além de permitir a criação de entrepostos formais e informais de troca de conhecimento socioambiental e imersão dentro de um ambiente destinado à contemplação e respeito ao meio ambiente.

Para isso, o EcoSesi recebeu investimento da ordem de R$ 5,1 milhões, que permitiram a edificação, em uma área de 40 hectares, de 1.584,75 m², incluindo na estrutura física do local recepção, ferramentaria, casa para o zelador, alojamentos para os funcionários, vestiários, 4 chalés, espaço gourmet, bloco com 8 apartamentos, piscina, observatório e laboratório socioambiental e estacionamento para visitantes. Após a adesão da empresa ao Programa e o trabalho do Senai, a empresa vem até o EcoSesi para receber o selo ambiental, momento em que terá acesso a outras práticas que estão ocorrendo nas empresas do mesmo segmento tanto no Estado, quanto no Brasil e até no mundo.

(*) Com informações da Unicom – Unidade de Comunicação e Marketing do Sesi

Selo Laranja, do Programa Senai de Ecoeficiência foi entregue  no último sábado, 12 (Foto: Assessoria)

Comentários