09/09/2014 17h34 – Atualizado em 09/09/2014 17h34

IGP-M é responsável pelo reajuste de 90% dos alugueis e subiu 0,26% na prévia do mês

Da Redação

O índice responsável pelo reajuste de 90% dos contratos de alugueis residenciais voltou a subir na primeira prévia do mês de setembro. O IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), divulgado nesta terça-feira (9), pela FGV (Fundação Getulio Vargas) registrou variação de 0,26%, na apuração referente ao primeiro período do mês.

No mesmo período de apuração do mês anterior, a variação foi de -0,31%. A apuração referente ao primeiro decêndio do IGP-M de setembro compreendeu o intervalo entre os dias 21 e 31 do mês de agosto.

A variação apresentada pelo IGP-M ao longo dos últimos 12 meses é responsável pelo reajuste de cerca de 90% dos contratos de locação residencial com prazo superior a um ano. Assim, o resultado anual fechado em junho causa impacto no reajuste dos contratos que fazem aniversário no mês seguinte.

O resultado do IGP-M leva em conta as variações de outros índices, como o IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo), o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) e o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção).

O IPA registrou variação de 0,31%, no primeiro período de setembro. No mesmo período do mês de agosto, o índice variou -0,56%. A taxa de variação do índice referente a Bens Finais passou de -0,18% para -0,02%. Contribuiu para este movimento o subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de -0,48% para 1,53%.

O índice referente a Matérias-Primas Brutas registrou variação de 0,48%. No mês anterior, a taxa foi de -1,70%. Entre os itens com taxas em trajetória crescente, destacam-se: bovinos (de -0,67% para 2,61%), soja (de -2,32% para -0,08%) e mandioca (de -3,24% para 10,27%). Em sentido oposto, vale mencionar: pedra britada (de 1,92% para -3,05%) e cacau (de 1,89% para 0,73%).

O IPC apresentou taxa de variação de 0,18%, no período. No mesmo período do mês anterior, a taxa foi de 0,03%. Sete das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Alimentação (de -0,23% para 0,01%). Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item carnes bovinas, cuja taxa passou de -0,92% para 1,14%.

Já o INCC registrou, no primeiro período do mês, taxa de variação de 0,12%, abaixo do resultado do mês anterior, de 0,44%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,26%. No mês anterior, a taxa foi de 0,04%. O índice que representa o custo da Mão de Obra não apresentou variação, em setembro. No mês anterior, este índice registrou taxa de 0,79%.

(*)Com informação de R7

No mesmo período de apuração do mês anterior, a variação foi de -0,31% (Foto: Google Imagens)

Comentários