20/11/2006 11h08 – Atualizado em 20/11/2006 11h08

Efe

Um internauta que divulgou um rumor na Web sobre o tráfico de órgãos, espalhando uma história de um estudante que teria sido drogado para que seus rins fossem extraídos, foi detido pela Polícia da província de Cantão. A informação é do portal chinês Xinhuanet. O detido publicou em 30 de outubro em um portal chinês que um estudante de Cantão foi drogado durante uma festa e depois teve seus rins retirados para que fossem vendidos. A mensagem, publicada sob o pseudônimo de “haohao985198”, se espalhou com rapidez em outros sites e muitos usuários receberam em seus e-mails avisos para evitar cair nas mãos desta suposta “máfia de órgãos” caso viajassem para Cantão. O rumor causou um grande pânico entre a população de Cantão, segundo a Polícia, que abriu uma investigação no início do mês para descobrir sua origem. Um morador do distrito de Yongxing (província de Hunan) confessou durante um interrogatório que ele divulgou o rumor sem ter confirmado que era verdade, segundo a agência de notícias Xinhua. Como castigo, o internauta – do qual só foi divulgado o sobrenome, Zhu – ficará detido durante cinco dias, informou a Polícia de Cantão. As autoridades chinesas mantêm uma campanha há anos contra os “cibercrimes”, devido às fraudes que ocorrem no âmbito da tecnologia da informação em um país que já conta com quase 130 milhões de internautas – atrás apenas dos Estados Unidos, com 198 milhões. No entanto, as organizações internacionais defensoras dos direitos humanos denunciam freqüentemente que nesta campanha se inclui também a censura de informações que podem incomodar o Partido Comunista, no poder desde 1949.

Comentários