01/04/2015 10h29 – Atualizado em 01/04/2015 10h29

O local está infestado de insetos e animais peçonhentos e comumente vem sendo usado por usuários de drogas e bandidos

Léo Lima

Uma internauta, que prefere não ter a identidade revelada, reclama da falta de providência por parte das autoridades quanto a um imóvel, localizado na Rua Jacy Paraná, no bairro Paranapunga, em Três Lagoas, onde proliferam insetos, sujeira, o mato toma conta e usuários de drogas usam para se esconder e consumir entorpecentes.

Ao lado do numeral 3354 da referida via, o imóvel consta de terreno e uma casa semidestruída pelo tempo e ação de vândalos. No entanto, o que mais incomoda, conforme a internauta é a sujeira e o mato que proporcionam abrigo para bandidos, além de cobras e até caramujos africanos (transmissores de doenças), que invadem a casa da reclamante e outras residências.

“Todos os dias tiramos dezenas desses caramujos de nosso quintal, mas mesmo assim alguns teimam em entrar na casa. Já denunciamos várias vezes para a prefeitura e somente uma vez mandaram limpar o terreno, mas acabaram jogando o lixo em frente ao imóvel e lá ficou”, enfatiza a internauta.

CARAMUJOS AFRICANOS

Além de destruírem plantas nativas e cultivadas, alimentando-se vorazmente de qualquer tipo de vegetação, e competir com espécies nativas – inclusive alimentando-se de outros caramujos, tais animais são hospedeiros de duas espécies de vermes capazes de provocar doenças sérias. Felizmente, não foram registrados casos em que essa doença, em nosso país, tenha sido transmitida pelo caramujo-gigante.

São elas: Angiostrongylus costaricensis, responsável pela angiostrongilose abdominal, doença que provoca perfuração intestinal, de sintomas semelhantes aos da apendicite;e, Angiostrongylus cantonensis, responsável pela angiostrongilíase meningoencefálica, de sintomas variáveis, mas muitas vezes fatal.

Se você leitor internauta tiver alguma reclamação para fazer e tentar solucionar o problema, ligue para o Perfil News (67)3522-4622, ou mande foto e/ou vídeo para o WhatsApp (67)8435-2479.

O mato tomou conta do terreno e o que seria uma casa está sendo destruída pela ação do tempo e de vândalos (Foto: Internauta)

Comentários