30/04/2019 11h02

Preocupação dos empresários é não contratar ninguém investigado por corrupção

Gisele Berto

Empolgados após a reunião ocorrida na manhã de ontem, 29, no Governo do Estado, empresários sul-coreanos que implantarão a Usina Fotovoltaica no município de Anaurilândia já saíram em busca de fornecedores para realização da empreitada.

As obras ainda devem demorar pelo menos seis meses para começar – prazo estimado pelo Governador Reinaldo Azambuja e pelo Secretário de Desenvolvimento, Jaime Verruck, para obtenção de todas as licenças ambientais. Apesar disso, os coreanos já estão em busca de parceiros e fornecedores para as obras. Ontem mesmo, assim que saíram da reunião em Campo Grande, os empresários e autoridades de Anaurilândia visitaram a Engepar, para tratar do serviço de terraplanagem na área cedida em comodato pela Prefeitura.

Quem quiser se oferecer para prestar serviços aos coreanos, entretanto, precisa estar pronto para passar por uma investigação: uma das principais preocupações dos empresários é não se envolver com empresas investigadas por envolvimento com corrupção.

“Como estrangeiros, eles ouviram e leram notícias sobre os escândalos de corrupção no Brasil. Por isso, como não conhecem as empresas, estão realizando investigações para ver com quem podem fazer negócios ou não, barrando empresas envolvidas em casos de corrupção”, contou ao Perfil News o Secretário de Desenvolvimento de Anaurilândia, Elizeu Muchon.

O empresário sul-coreano Jong-Bok Park (de boné) visita a área cedida em comodato pela prefeitura de Anaurilândia, junto com o prefeito Edinho Takazono. Foto: Divulgação

Comentários