17/10/2017 17h34

JBS paralisa as unidades em MS alegando “insegurança jurídica”

Deputados que integram a CPI da JBS pediram bloqueio de R$ 730 milhões nas contas do grupo no Estado, e em retaliação a empresa vai paralisar as setes plantas frigoríficas em Mato Grosso do Sul

Ricardo Ojeda, com informações

A queda de braço entre os deputados que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito, conhecida como da JBS gerou preocupação para mais de 15 mil funcionários diretos e 60 mil indiretos, distribuídos nas sete unidade frigoríficas espalhadas pelo Estado.

Em nota distribuída pela assessoria de Comunicação da JBS, a partir desta quarta-feira, 18 as operações serão paralisadas por tempo indeterminado. De acordo com a assessoria, tal procedimento deve-se à insegurança jurídica criada pelos bloqueios de recursos da empresa, totalizando R$ 730 milhões em MS. A nota informa ainda que mesmo sem atividades na empresa, os funcionários continuarão recebendo os salários.

PREOCUPAÇÃO

Outro motivo que traz preocupação é que as atividades de compra e abate paralisadas por tempo indeterminado. A partir de quarta-feira o grupo JBS suspende a compra e o abate de bovinos, porém a assessoria informou que todos os compromissos serão honrados pela empresa.

Os colaboradores continuarão recebendo seus salários normalmente até que a companhia tenha uma definição sobre a situação. “A JBS esclarece que está empenhando seus melhores esforços para a manutenção da normalidade das suas operações e trabalha para proteger os interesses de seus colaboradores”, esclarece a nota divulgada pela assessoria de Comunicação.

PROTESTO NA ASSEMBLEIA

De acordo com matéria divulgada pelo Correio do Estado, aproximadamente dois mil trabalhadores de frigoríficos da JBS lotaram o plenário da Assembleia Legislativa, na manhã desta terça-feira (17). Eles temem demissões em massa por causa do bloqueio judicial das contas da empresa. Por isso, querem que os deputados estaduais intercedam em favor da categoria.
Por conta do bloqueio, tem impedido algumas atividades dos frigoríficos como, por exemplo, a compra de insumos.

“Estamos muito preocupados. Queremos montar comissão formada pelo governo do Estado, Legislativo, representantes dos trabalhadores, frigoríficos e representantes da avicultura para que seja debatido o desbloqueio das contas da empresa”, disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Carnes e Derivados de Sidrolândia, Sérgio Lonzan.

Trabalhadores da JBS se reuniram no saguão da Assembleia Legislativa para protestar contra os parlamentares da CPI (Foto: Marina Pacheco/Campo Grande News)

Funcionários da JBS

Após protesto, deputados integrantes da CPI se reuniram com uma comissão de trabalhadores da JBS (Foto: Victor Chileno)

Comentários