06/05/2015 17h34 – Atualizado em 06/05/2015 17h34

Jorginho do Gás contesta jornal e diz ser vítima de grupo de comunicação

Vereador nega acusações e diz que Câmara Municipal não serve a interesses de grupos de comunicação em ver suas pretensões de recebimentos de valores astronômicos alcançadas

Ricardo Ojeda, com informações

Em decorrência de matérias divulgadas nos veículos de um grupo de comunicação de Três Lagoas, envolvendo o nome do presidente da Câmara, vereador Jorge Aparecido Queiroz, que vem sendo acusado por um servidor do Legislativo Municipal, o vereador contestou as acusações divulgando Nota à Imprensa, onde informa que as acusações são improcedentes, negando que tais fatos ocorreram como acusa a matéria. O parlamentar diz ainda a intenção da notícia é atacar sua honra e imagem, pessoal a política e que acionará sua assessoria jurídica para tomar medidas judiciais e criminais cabíveis.

Veja a nota na íntegra.

NOTA A IMPRENSA

Em relação às denúncias veiculadas em jornal, rádio, TV e Outdoor pelo Grupo RCN de Comunicação na manhã desta quarta-feira (06), o Presidente da Câmara Municipal, Jorge Aparecido Queiroz, que nesta data se encontra em Brasília/DF, lamenta as falsas acusações, e nega veementemente que ocorreu qualquer apropriação de valores de qualquer natureza de servidor, assim como tomará todas as medidas administrativas, cíveis e criminais visando estabelecer a verdade dos fatos e sanar os danos causados à sua honra, imagem e mandato, e ao Poder Legislativo Municipal como um todo.

Jorginho também informa que não foi intimado pelo Ministério Público Estadual (MPE) sobre as acusações feitas pelo servidor Antônio Siqueira, e tomou conhecimento das mesmas por meio da imprensa, o que causa estranheza e dúvidas sobre as reais intenções do servidor, ao procurar a imprensa para fazer denúncia sobre investigação que de acordo com a própria notícia é feita em sigilo.
O parlamentar reafirma que as acusações são inverídicas, e tem como objetivo atacar sua honra e imagem, pessoal e política, e da Câmara Municipal, e que já acionou sua consultoria jurídica para que sejam tomadas as medidas judiciais cabíveis contra os responsáveis pelas falsas acusações.

Finalmente, reafirma sua confiança nas instituições, e que a Administração da Câmara Municipal não serve a interesses de grupos de comunicação em ver suas pretensões de recebimentos de valores astronômicos alcançadas.

Comentários