10/06/2015 12h39 – Atualizado em 10/06/2015 12h39

A decisão, tomada em assembleia, é para pressionar o governo e autoridades, sobre o aumento salarial da categoria

Assessoria

Servidores do poder judiciário federal em Mato Grosso do Sul, em estado de greve, farão uma paralisação por 24 horas, na segunda-feira, dia 15, de advertência às autoridades, especialmente o Governo Federal, como forma de conseguir a aprovação do reajuste salarial reivindicado há mais de 8 anos.

“Nesse mesmo dia (15) faremos uma assembleia geral, às 15 horas, para avaliarmos o movimento e decidirmos pela continuidade ou não da paralisação, por tempo indeterminado”, explicou José Ailton de Mesquita, coordenador jurídico do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União em Mato Grosso do Sul – Sindjufe/MS.

Os servidores querem a aprovação do PLC 28/2015, que trata do reajuste salarial dos servidores do judiciário federal. José Ailton explicou que a categoria, que engloba a Justiça Federal, Justiça do Trabalho, Justiça Eleitoral e Justiça Militar da União busca a recomposição de vencimentos da categoria, veiculado pelo PLC 28/2015 de autoria do Supremo Tribunal Federal (STF), órgão máximo do Judiciário brasileiro. Os servidores, reunidos em assembleia no início desta semana, decidiram que o Estado de Greve vigorará até a aprovação dos reajustes exigidos pela categoria ou outro momento, caso decidido em assembleia geral, podendo, ainda, ser decidido pela paralisação dos serviços e passando-se à greve a qualquer momento.

O SINDJUFE/MS e o Comando Estadual de Greve informa que a categoria dos servidores do Poder Judiciário Federal, garantirá na forma da Lei, a continuação do serviço público no seu mínimo legal, evitando-se o perecimento de direitos. “Na concentração de forças dos servidores do Poder Judiciário Federal buscamos a recomposição de vencimentos da categoria, veiculado pelo PLC 28/2015 de autoria do Supremo Tribunal Federal (STF), órgão máximo do Judiciário brasileiro, e contamos com a compreensão e apoio de toda a Magistratura e da sociedade, posto que a aprovação legislativa do referido PLC e sua sanção presidencial é necessária para se garantir a autonomia institucional do Poder Judiciário”, explica Gabriel Angeramis Vargas Goular, coordenador financeiro do Sindjude/MS.

(*) Assessoria do SINDJUFE/MS

O sindicato fará a ação como uma forma de conseguir a aprovação do reajuste salarial reivindicado há mais de 8 anos. (Foto: Assessoria)

Comentários