14/11/2006 17h14 – Atualizado em 14/11/2006 17h14

O Tribunal do Júri de Três Lagoas condenou nesta segunda-feira, dia 12, Jackson Leandro Bruno da Silva, de 25 anos, a pena de 16 anos e quatro meses de reclusão, em regime integralmente fechado por ser autor de tentativa de homicídio contra seguranças de um clube social localizado na rua João Silva, centro de Três Lagoas. O fato aconteceu no dia 10 de abril do ano passado. No dia 10, por volta das 5h30min, em frente ao clube, Jackson, juntamente com pessoa não identificada, de posse de um revólver, calibre 38, passou a disparar contra os seguranças do local que se encontravam na porta do clube, sendo que entre as vítimas estavam: Edson Dias Machado e Juliano César Marin, que não foram atingidos. Segundo relato do Ministério Público, Jackson foi retirado da festa, pois havia a informação de que estaria participando de uma briga. Ele não teria gostado da atitude e resolveu disparar contra todos os seguranças do local. Logo após, fugiu, mas foi preso pela Polícia Militar. Com ele foi encontrada ainda 4,5 gramas de substância entorpecente. O JÚRI Este foi o segundo júri que julgava o caso. O primeiro não foi concluído em virtude de uma jurada não ter passado bem. A defensoria pública alegou que as teses da negativa de autoria. TRÊS CRIMES Jackson foi condenado por três crimes de tentativa de homicídio qualificado (motivo fútil), de acordo com o artigo 121, Parágrafo 2º, Inciso 11 do Código Penal, combinado com o artigo 29 do mesmo código. O Juiz de Direito, Renato Antonio de Liberali, determinou a pena em 16 anos e quatro meses de reclusão. Ele partiu da pena mínima prevista para o delito de homicídio qualificado, ou seja, 12 anos de reclusão, e pela culpabilidade, conduta social e circunstancia foi elevado a um ano por cada uma delas.

Comentários