Produto inédito foi desenvolvido pela área de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa; celulose substituiu o carbopol, espessante fóssil não produzido no Brasil

Pesquisadores do Centro de Tecnologia da Klabin, em parceria com o Instituto Senai de Inovação em Biossintéticos e Fibras e a indústria de cosméticos Apoteka, desenvolveram, no mês abril, uma formulação inédita de álcool gel feita a partir de celulose microfibrilada (MFC). O espessante, extraído da madeira, substitui o carbopol, insumo de origem fóssil não produzido no Brasil.

O lote inicial, de 60 quilos, foi testado e possui laudos técnicos que confirmam poder de ação igual ao álcool em gel tradicional, importante no combate à covid-19. Agora, quatro toneladas do produto serão destinadas exclusivamente para mais de 24 mil profissionais da saúde de regiões onde a Klabin mantém atuação.

“Desde o início da pandemia a Klabin vem realizando diversas ações para apoiar a sociedade no combate ao Coronavírus. Poder oferecer aos profissionais da saúde um produto extremamente eficaz, feito a partir das nossas florestas, nos enche de orgulho e reforça a relevância do trabalho de pesquisa realizado pela companhia”, afirma Silvana Meister Sommer, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento Industrial da Klabin.

A celulose microfibrilada utilizada na fabricação do álcool em gel é produzida no recém-inaugurado Parque de Plantas Piloto da Companhia, localizado em Telêmaco Borba (PR). A MFC específica para este fim é um tipo de nanocelulose, mais homogênea, que possui propriedades que garantem hidratação para a pele, evitando o ressecamento pelo uso contínuo do produto.

Embalagem sustentável

Para armazenar o álcool em gel, a Klabin desenvolveu junto à Gualapack, uma embalagem exclusiva feita com papel kraft produzido pela Companhia. Por meio de aplicação de laminação como barreira, o modelo oferece proteção adequada para armazenamento e transporte do produto, além de torná-lo ainda mais sustentável.

Comentários