27/07/2017 16h54

O resultado final negativo é explicado principalmente pelas despesas financeiras

Redação

A Klabin, maior fabricante brasileira de papéis para embalagens, teve prejuízo líquido de R$ 377,6 milhões no segundo trimestre, revertendo lucro de R$ 1,27 bilhão apurado um ano antes. O resultado final negativo é explicado principalmente pelas despesas financeiras líquidas de R$ 669,2 milhões no intervalo, ante receita financeira líquida de R$ 1,27 bilhão apurado um ano antes. O resultado final negativo é explicado principalmente pelas despesas financeiras líquidas de R$ 669,2 milhões no intervalo, ante receita financeira líquida de R$ 1,3 bilhão um ano antes.

Conforme a Klabin, a taxa de câmbio final do período, usada para marcar a dívida em moeda estrangeira, foi de R$ 3,31 por dólar, desvalorização de 4% em relação à taxa observada ao fim do primeiro trimestre.

De abril a junho, a receita líquida da companhia totalizou R$ 1,98 bilhão, com alta de 17% na comparação anual. O mercado doméstico representou 61% da receita, com alta de um ponto percentual. A melhora nesse linha foi sustentada pela produção de celulose na unidade Puma, que entrou em operação em março do ano passado.

O volume de vendas da Klabin no intervalo, sem considerar madeira, foi de 777 mil toneladas, um salto de 23% na comparação anual, impulsionado principalmente pelo crescimento da produção de celulose em Ortigueira (PR).

O resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 595 milhões, 11% acima do apurado um ano antes. Esse foi o 24º trimestre consecutivo de crescimento desse indicador em base anualizada.

A dívida líquida da companhia em junho estava em R$ 11,75 bilhões, com crescimento de 3% ante março, e a alavancagem financeira medida pela relação dívida líquida/Ebitda ficou estável em 4,9 vezes.

(*) O Valor Econômico

Maior fabricante brasileira de papéis para embalagens (Foto/ O Globo)

Comentários