18/11/2006 11h27 – Atualizado em 18/11/2006 11h27

Agência Senado/Senado Federal

O último discurso do senador Ramez Tebet (PMDB-MS) no Plenário do Senado foi proferido no dia 17 de outubro. Tebet lembra o tempo em foi prefeito de Três Lagoas (MS), em 1975, município hoje administrado por sua filha Simone, e saúda o presidente da empresa Metalfrio, grande fabricante de produtos para a refrigeração comercial, por ocasião da inauguração da segunda unidade da empresa em Três Lagoas. O senador também faz apelo ao governo federal para a liberação de recursos em favor da BR-158, ainda inacabada. http://www.senado.gov.br/sf/atividade/Pronunciamento/detTexto.asp?t=364943O penúltimo pronunciamento de Tebet foi feito no dia anterior, 16 de outubro. Ele requereu voto de louvor ao economista Muhammad Yunus, fundador do Banco Grameen e defensor do microcrédito, que recebeu o Prêmio Nobel da Paz. http://www.senado.gov.br/sf/atividade/Pronunciamento/detTexto.asp?t=364858O antepenúltimo pronunciamento do senador, em 3 de outubro, foi o que teve o tom mais emocional e político. Ele saúda a aplicação da cláusula de barreira, o que, a seu ver, deve auxiliar o presidente da República no relacionamento com o Congresso Nacional, e demonstra satisfação com a existência do segundo turno na eleição presidencial. Nesse discurso, Tebet se despede dos colegas do Senado dizendo: “Não posso deixar passar esta oportunidade, senador Leonel Pavan, senhoras e senhores senadores. Eu, que não gosto de despedida, por considerá-la algo que sempre compunge os corações, quero despedir-me, por exemplo, do convívio da senadora Heloísa Helena e, por meio da sua pessoa, dos representantes de todos os Estados da Federação”. http://www.senado.gov.br/sf/atividade/Pronunciamento/detTexto.asp?t=364456

Comentários