25/03/2012 21h43 – Atualizado em 25/03/2012 21h43

Publicação com mais de 40 trabalhos de artesãos leva arte do Estado ao resto do mundo

Da Redação*

Integrando a programação oficial da Semana do Artesão, o governador André Puccinelli lançou nesta sexta-feira (23), no auditório da Governadoria, o livro “Vozes do Artesanato”, que retrata personalidades das diversas categorias da arte sul-mato-grossense.

O jornalista Fábio Pellegrini, organizador do livro, conta que esta é a terceira publicação da série feita pela Fundação de Cultura, que nas edições anteriores abordou temas como a dança e o teatro, e tem registro na Biblioteca Nacional. Neste volume, o foco é o artesanato de Mato Grosso do Sul, representado por 38 artesãos, além dos modos de produção coletivos das cerâmicas Terena e Kadiwéu, e de três homenagens póstumas.

“Foi feito um levantamento com artistas que pudessem expressar a arte do Estado por regiões e por tipo de artesanato produzido em cada uma delas. O livro acaba sendo uma grande vitrine para as peças únicas e exclusivas produzidas por cada um destes artesãos que participaram do trabalho. A identidade cultural do Estado será reforçada e as pessoas poderão conhecer e dizer: Olha a riqueza que Mato Grosso do Sul tem”, reforça o jornalista.

A obra contou com uma rede de colaboradores de todo o Estado, incluindo jornalistas, fotógrafos, pesquisadores, designers, entre outros, sendo de grande relevância para a cultura sul-mato-grossense. A tiragem inicial é de dois mil exemplares, que serão distribuídos em bibliotecas públicas e embaixadas brasileiras no exterior.

Na opinião da artesã sul-mato-grossense Indiana Marques, o livro vai incentivar o consumo interno do artesanato produzido no Estado. “No dia-a-dia já fazemos negócio com as nossas peças e conseguimos atingir o turista e o mercado externo. Com esta publicação queremos chegar também à população deste Estado, e divulgar o nosso artesanato para os formadores de opiniões, além de proporcionar mais conhecimento sobre a nossa cultura e aproximar ainda mais os artesãos do seu público”, diz Indiana.

O trabalho com madeira e osso do artesão de Jardim David Rogério Ojeda, que trabalha no segmento desde os 12 anos de idade, ultrapassou as barreiras da informalidade. Atualmente ele comanda uma empresa composta por 12 artesãos que produzem bandejas, tábuas para churrasco, caixas para escritório e outros objetos, misturando a rusticidade da madeira com peças delicadas esculpidas no osso. Para David, a principal contribuição do livro está na valorização da arte local. “Esta publicação vai agregar valor ao nosso trabalho, além de torná-lo ainda mais conhecido”, ressaltou o artesão.

Segundo o presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), Américo Calheiros, o conceito do livro é homenagear todos os artesãos de Mato Grosso do Sul, responsáveis por uma produção expressiva e pujante da cultura na economia, fonte de sobrevivência de inúmeras famílias e que cada vez mais ultrapassa as fronteiras do Estado.

“Este livro representa o resgate feito através de um registro, proporcionando amplo conhecimento das pessoas relacionadas à arte e à cultura do nosso Estado no desenvolvimento da economia, reconhecendo o trabalho e a importância de cada um destes artistas da casa”, conta Américo.
Atualmente cerca de R$ 28 bilhões são movimentados pela força do artesanato no Brasil, gerando emprego e renda à população.

O governador ressaltou a importância da valorização dos artesãos sul-mato-grossenses para a cultura do Estado e para o País. “Com este livro os nossos artesãos vão poder tornar conhecidos seus trabalhos no Estado e em outras localidades. As culturas indígenas Terena e Kadiwéu serão ainda mais difundidas e os segmentos culturais poderão expor cada vez mais o artesanato local. O governo está aqui para apoiá-los e divulgar melhor este trabalho que muito nos orgulha. O artesanato de Mato Grosso do Sul é o mais bonito de todos”, finalizou Puccinelli.

O evento contou também com a participação da vice-governadora Simone Tebet.

(*) Com informações do Portal Notícias MS

André e a vice-governadora Simone Tebet, ao lado do presidente da Fundação de Cultura, Américo Calheiros, observam artesanato. (Foto: Edemir Rodrigues)

Comentários