23/04/2013 15h30 – Atualizado em 23/04/2013 15h30

O senador Waldemir Moka, o presidente da Fiea, José Carlos Lyra, o presidente do Senado, Renan Calheiros, e o presidente da Fiems, Sérgio Longen, na cerimônia de apresentação da Agenda Legislativa

Da Redação

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, destacou, durante a cerimônia de lançamento da Agenda Legislativa da Indústria 2013 pela CNI nesta terça-feira (23/04), em Brasília (DF), a relevância da publicação para o setor industrial. “É de extrema importância acompanhar o trabalho do Congresso Nacional, que cria por ano milhares de leis de interesse das indústrias. Essa publicação anual da CNI já se consolidou como um instrumento fundamental para a defesa dos nossos interesses na Câmara e no Senado Federal”, declarou.

Ele reforça que a Agenda Legislativa serve ainda para manter um diálogo transparente com o Senado e Câmara dos Deputados, demonstrando as demandas das indústrias e retratando as posições que impactam a competitividade do setor produtivo. “Além de simbolizar as reivindicações da indústria, ela consolidou-se como instrumento de representatividade do setor”, ressaltou.

Sérgio Longen acompanhou o lançamento da publicação acompanhado pelo residente do Senado, Renan Calheiros, pelo senador Waldemir Moka, pelo deputado federal Sandro Mabel, pelo presidente da Fiea (Federação das Indústrias de Alagoas), José Carlos Lyra de Andrade. A 18º edição da Agenda Legislativa foi apresentada pelo presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, e é o principal canal de interlocução da indústria brasileira com o Congresso Nacional, o Poder Executivo e a sociedade civil.

Neste ano, o documento lista 130 propostas de interesse de setor industrial em tramitação na Câmara dos Deputados e no Senado. A Agenda oferece um resumo de cada projeto de lei e traz a posição da indústria quanto a seu teor, convergente ou divergente. Dentre as 130 propostas da Agenda Legislativa, 17 figuram na Pauta Mínima, o conjunto de proposições de maior impacto para o ambiente de negócios do país. São projetos de lei com poder de afetar o dia a dia das empresas nos seguintes temas: regulamentação da economia, questões institucionais, meio ambiente, legislação trabalhista, infraestrutura e sistema tributário.

(*) Com informações de Assecom FIEMS

Comentários