23/10/2015 07h53 – Atualizado em 23/10/2015 07h53

Cerimônia de abertura da Rota do Desenvolvimento da Região Centro Sul, que começou nesta quinta-feira (22/10) e prossegue até domingo (25/10), no Pavilhão de Eventos Dom Teodardo Leitz, em Dourados (MS)

Assessoria

Presidente da Fiems, Sérgio Longen, destacou que o projeto está contribuindo para o avanço da economia estadual graças ao trabalho capitaneado pelo Governo do Estado e as entidades representativas do setor produtivo. “Em momentos difíceis de instabilidade política, ações como essa trazem esperança e oportunidades para o setor empresarial do Estado”, declarou.

Sérgio Longen completa que as ações de desenvolvimento precisam avançar e o secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, está cumprindo bem o papel de alavancar investimentos para Mato Grosso do Sul. “O Sistema Fiems tem procurado atender as indústrias neste momento de dificuldades em que elas se encontram porque, na velocidade que novas regras são criadas pela classe política, é grande o obstáculo para se produzir no Brasil. Por isso, precisamos da união de todos, principalmente, para barrar medidas que acabam com a competitividade do setor produtivo nacional, como o retorno da CPMF, por exemplo”, reforçou.

No Estado, conforme o presidente da Fiems, o setor produtivo mantém um diálogo franco com o Governo, que tem procurado atender aos pleitos da indústria, comércio e agropecuária. “Estamos negociando com o governador Reinaldo Azambuja a manutenção da alíquota de 12% do ICMS do óleo diesel e o aumento do teto do Simples para R$ 3,6 milhões ao ano. Em contrapartida, ele já não está medindo esforços para oferecer condições para o escoamento da nossa produção, como a reativação do porto de Murtinho”, lembrou.

Ele também fez questão de citar os R$ 43,6 milhões em investimentos que o Sistema Fiems fez em Dourados nos últimos oito anos em obras de construção, reforma e ampliação das unidades do Sesi e Senai. “Aqui em Dourados temos muitas ações do Sesi, Senai e IEL, que atuam em todas as frentes para atender o setor industrial. Nós temos investido muito na região, somente entre ano passado e este ano, o Senai recebeu investimento de R$ 9,5 milhões em laboratórios”, informou, pontuando que esse conjunto de medidas e ações já estão refletindo na atração de indústrias e gerando mais empregos.

REPERCUSSÃO

Para o prefeito de Dourados, Murilo Zauith, a Rota do Desenvolvimento é a oportunidade de conhecimento para todos. “Sempre fomos parceiros e nossa obrigação como dirigentes é fazer com que as pessoas possam ter renda por meio do desenvolvimento humano, intelectual e de trabalho. Por isso, fico honrado em receber a Rota do Desenvolvimento, uma grande troca de conhecimento e quem ganha é o cidadão sul-mato-grossense”, disse.

Já o secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, declarou que a Rota do Desenvolvimento veio para atender os pequenos negócios, já que a maior parte das empresas do Estado são micro e pequenas. “Aqui reunimos as ações e serviços para os empresários. Muitos já foram visitados e aqui também nos aproximamos do empresariado. Em momento de crise, trata-se de uma oportunidade para os pequenos negócios”, analisou.

Na avaliação do presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/MS e presidente da Fecomércio-MS, Edison Araújo, a Rota do Desenvolvimento chega para apresentar caminhos para o protagonismo local. “Os pequenos negócios são os que mais geram empregos e, por isso, precisamos nos unir para trazer a todos as informações e serviços necessários. Precisamos nesse momento de crise econômica buscarmos saída de forma inteligência e construtiva”, pontuou.

O 2º vice-presidente regional da Fiems, Sidnei Pitteri, ressaltou que, pelo momento de instabilidade política, o evento é de grande importância pela troca de informação e de experiência. “É uma grande oportunidade de negócios e, principalmente, para fortalecer as entidades e trabalhar em conjunto pelo desenvolvimento do Estado, além de oferecer informação aos empresários”, falou.

De acordo com o 6º vice-presidente regional da Fiems, Gilson Kleber Lomba, a Rota do Desenvolvimento assume um papel importante neste momento de crise pelo qual passa o País. “Temos de ter ações que estimulem os empresários e ajudem as pessoas a encontrarem novas possibilidades e criar oportunidades”, disse.

PARTICIPAÇÃO DO SISTEMA FIEMS

As atividades no Pavilhão de Eventos Dom Teodardo Leitz incluem 21 mesas de atendimentos e diversas oficias, palestras e atividades interativas com o público oferecidos pelo Governo do Estado em parceria com entidades representativas do setor produtivo.

Nos quatro dias do evento, o Sistema Fiems, composto pelo Sesi, Senai e IEL, vai promover inúmeras palestras, com destaque para a explanação do doutor em Política Econômica e consultor da CNI, Reynaldo Rubem, que falará sobre a crise global, as fragilidades competitivas da indústria brasileira e a ameaça chinesa, sendo que a apresentação faz parte da programação do Dia do Empresário da Indústria.

Já o Sesi oferecerá a palestra sobre E-Social, um novo desafio para a gestão em SST (Segurança e Saúde no Trabalho), exposição e inscrição na plataforma EaD (Educação a Distância) montada no ônibus de inclusão digital e da unidade móvel de saúde ocupacional, mesa de atendimento com orientação e apresentação do portfólio dos serviços disponibilizados pela entidade.

O Senai vai oferecer a oficina sobre 0% de desperdício na criação de moda, clínica tecnológica sobre NR 12, palestras sobre tendências de moda Verão 2016, design na medida e SISB (Sistema de Inspeção na Área de Alimentos), mesa de atendimento para empreendedores, divulgação de cursos de formação profissional, exposição da unidade móvel de mecânica a diesel e de produtos inovadores, além de simuladores de retroescavadeira e caminhão basculante.

No caso do IEL, serão oferecidas palestras sobre ética e postura profissional e sobre instrumento de desenvolvimento econômico regional, cadastro de estudantes para estágio, divulgação dos projetos Foco na Carreira e de intercâmbio de estudo no Canadá, intermediação de estágio junto às empresas e divulgação do PQF (Programa de Qualificação de Fornecedores) e de cursos de capacitação empresarial.

(*) Assessoria Fiems

Sistema Fiems tem procurado atender as indústrias neste momento de dificuldades em que elas se encontram (Foto:Assessoria)

Comentários