01/10/2019 15h44

Aos 86 anos, a ex-vereadora que dá nome ao Centro de Convivência para Idosos ainda serve café para uma turma de amigos, todo dia, para se divertir e bater papo antes do dia começar

Gisele Berto

“Você não quer um bolo de mandioca? Um refrigerante? Banana?”. Assim como qualquer papo com uma avó, a conversa começa com ela, gentilmente, oferecendo comida.

A melhor recordação de Visitação Veron da Motta, 86 anos, é da Lagoa Maior dos tempos passados. Quando veio do Distrito de Garcias, ainda jovem, a diversão da turminha era nadar ali e ver o trem passar. “Nossa, como tinha pó-de-mico”, se diverte. “O Ramez era um atentado”, lembra, recordando o ex-Senador Ramez Tebet.

“Visitação” não é um nome muito conhecido dos três-lagoenses. Mas experimenta falar na Tia Nega para você ver.

“Eu cresci enquanto vi a cidade crescer”, diz Tia Nega. Ela, que foi vereadora por dois mandatos, diz que já deixou para Três Lagoas “todo o legado que podia”.

Com a memória afiada, lembra dos projetos que foram adiante na sua época como vereadora. “Também pedi a passagem de nível no Santa Rita para o São João, a feira do Alvorada, o Clube de Mães, o antigo Velório Municipal, que ficava onde hoje funciona a Biblioteca. “Hoje lá é um lugar de festa, alegria, foi bom terem mudado o velório de lugar”, diz.

Enquanto seu falecido marido, Benedito Soares Mota, conhecido por Madrugada, dá o nome do Estádio de Futebol da cidade – o Madrugadão – Tia Nega ficou com o nome do Centro de Convivência, que hoje oferece diversão, comida e lazer para mais de 120 idosos.

Ela ainda frequenta o lugar e vai sempre que pode. “Ajudo nas festas e sempre que me pedem. Ano passado consegui 68kg de uva para a festa do final do ano”, lembra.

“Tem certeza que não quer um bolo? Não vai comer nada?”

Tia Nega tem seis netos e cinco bisnetos. Alguns filhos ainda estão por perto. Outros, espalhados por outras cidades. Mas o celular, sempre à mão, ajuda a aliviar a saudade. Já com dificuldade para caminhar, ainda vai ao mercado, ao açougue, fazer compras… “Mas todo mundo me conhece. O pessoal me dá carona quando eu preciso”.

PESSOAL DO CAFÉ

Todo dia, há sabe-Deus quanto tempo, uma turma se reúne no quintal da casa da Tia Nega para bater papo e “falar mal da vida dos outros”, brinca. São comerciantes, empresários e amigos, que vêm para comer um bolo de mandioca, conversar e se preparar para o início do dia. “Não devo nada para ninguém, para político nenhum, exceto para o ex-Governador Pedro Pedrossian, que era quase da família e, sempre que vinha a Três Lagoas, ficava na casa dela.

O CENTRO DE CONVIVÊNCIA

O orgulho de Tia Nega ainda é o Centro de Convivência que leva o nome dela. “Fui a Brasília quatro vezes. Conseguimos o terreno e voltamos de lá com fogão, móveis, utensílios”, lembra.

Localizado no bairro São Carlos, o Centro oferece recreação para cerca de 120 idosos. Entre as atividades estão campo de bocha, recreação, jogos, academia ao ar livre com acompanhamento de educador físico, passeios, dança, coral, música, oficinas de trabalhos manuais com auxílio de artesão, palestras informativas e educativas promovidas pelo CRAS São João – Referência do SCFV, e eventos em datas comemorativas. “Soube que vai ter piscina também”, entregou Tia Nega.

Para que o idoso possa participar, deve ter igual ou mais que 60 anos de idade e procurar o CRAS São João para que passe pela assistente social e equipe psicossocial. Com isso é feito o cadastro único e o interessado é direcionado ao serviço. Atualmente, não há fila para participar, já que a demanda é atendida pouco tempo após o cadastramento.

“Antes de ir embora você vai comer um bolo de mandioca, né? Um café?”

Tia Nena recebeu a reportagem do Perfil News em sua casa. Foto: Gisele Berto

Idosos participam de Dia da Beleza no Centro de Convivência Tia Nega. Foto: Divulgação

Comentários