26/08/2014 16h01 – Atualizado em 26/08/2014 16h01

O suspeito de estuprar uma jovem na madrugada do último domingo cometeu suicídio na tarde de ontem na Delegacia de Polícia Civil de Paranaíba. Segundo a Polícia Civil, trata-se de Luismar Oliveira Chuve, de 20 anos de idade

Da Redação

O suspeito de estuprar uma jovem na madrugada do último domingo cometeu suicídio na tarde de ontem na Delegacia de Polícia Civil de Paranaíba. Segundo a Polícia Civil, trata-se de Luismar Oliveira Chuve, de 20 anos de idade. Também, segundo informações colhidas junto à polícia, a vítima de estupro, uma jovem de 23 anos, teria reconhecido o suspeito como autor do crime.

Ele foi preso após mandado de prisão expedido pela Justiça de Paranaíba solicitado pela Delegacia da Mulher, por meio da delegada Eva Maira Cogo da Silva. Após preso, Luismar ficou em uma cela individual.

Na manhã de quinta (21), o suspeito foi levado para o IML (Instituto Médico Legal) para fazer o exame de corpo de delito e retornou para a cela da Delegacia de Polícia Civil de Paranaíba, segundo informações do delegado Francisco Antônio Moreira, de onde seria levado para o Eppar (Estabelecimento Penal de Paranaíba).

Após isso, nenhum barulho foi ouvido. Então, por volta das 14h40, quando os policiais foram até a cela, ele estava enforcado com a própria camiseta.

O CASO

Uma jovem de 23 anos foi agredida e estuprada na madrugada do último domingo, por volta das 4h40, quando deixava um baile de formatura, no Santo Antônio, em Paranaíba.

De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima, de 23 anos, contou que por volta das 23h40 foi até o salão de eventos do CAP (Clube Atlético Paranaibense), onde ocorreu um baile de formatura. Já no final da festa ela resolveu ir embora sozinha para casa e seguiu caminhando pela rua Theódulo Mendes Malheiros, rente ao muro do CAP. Em determinado momento, percebeu que havia um homem lhe seguindo; ele falava como se estivesse conversando ao telefone, porém a jovem acredita que ele estava apenas simulando uma conversa.

Por desconfiar da atitude do homem e temendo que ele pudesse tentar algo contra ela, a jovem pegou um pedaço de concreto que estava no chão e continuou caminhando. Alguns metros à frente, o homem alcançou a vítima e perguntou se ela queria companhia. Para tentar afastá-lo, ela disse que o seu marido estava esperando um pouco mais adiante.

A mulher continuou caminhando na mesma direção até que foi atacada pelo homem, que aproveitou uma entrada abandonada no CAP, onde existe uma portaria desativada. O homem agarrou a jovem e a jogou contra o muro, onde passou a lhe agredir fisicamente, segurando nos seus cabelos e batendo a cabeça dela no muro.

A jovem alega que para tentar se defender, conseguiu desferir alguns golpes, com a pedra que estava na mão, no rosto do agressor, deixando, provavelmente, algumas marcas aparentes de ferimento no lado esquerdo do rosto. Mesmo assim o homem conseguiu dominar a vítima, que foi obrigada a praticar sexo oral nele. Ele ainda obrigou a jovem a tirar a calcinha, porém não conseguiu consumar a penetração. O agressor, então, tentou levá-la para uma área mais afastada. O homem seguiu agredindo a vítima para que ela o acompanhasse; a jovem concordou em acompanhar, no entanto pediu para ele pegar a calcinha dela, que estava no chão, momento em que ele se distraiu e ela conseguiu escapar, fugindo pela rua e gritando por socorro.

(*)Com informação de Jornal Tribuna Livre

Segundo informações colhidas junto à polícia, a vítima de estupro, uma jovem de 23 anos, teria reconhecido o suspeito como autor do crime (Foto: Jornal Tribuna Livre)

Comentários