13/04/2018 17h08

Parceria da prefeitura com a Mademinas conseguiu recuperar, sem custos ao município dois “troles” que foram instalados nas Praças, Ramez Tebet e dos Ferroviários

Ricardo Ojeda

Não adianta uma cidade viver no presente, sem cultivar o seu passado, suas raízes e culturas. Como já dizia Marcus Garvey, empresário e artista jamaicano: “Um povo sem conhecimento da sua história, origem e cultura é como uma árvore sem raízes”.

Preservar a cultura de uma cidade é manter a chama acesa da identidade do povo, e essa chama jamais deve ser apagada.

TRANSFORMAÇÕES

E por falar em história, a centenária cidade de Três Lagoas tem muitas. Aos 103 anos que serão comemorados no dia 15 de junho, o município passou por várias transformações e ciclos econômicos, como a chegada da estada de ferro Noroeste do Brasil, construção da hidrelétrica de Jupiá, feira do gado, até chegar à Capital Mundial da Celulose.
Atualmente a cidade é uma das principais produtoras de celulose do mundo, abrigando três fábricas que enviam a sua produção para vários países.

RESGATE CULTURA

Diante de tantas transformações, o resgate cultural estava quase esquecido. Um dos principais e mais antigo evento da cidade, a Festa do Folclore que há anos não se realizava, foi reeditado no ano passado pelo prefeito Angelo Guerreiro.

O evento foi realizado na área próxima aos barracões da Noroeste do Brasil. Durante a abertura, muitas pessoas que participavam da solenidade foram pegas de surpresa. Quando o prefeito declarou aberto oficialmente o evento, os organizadores prepararam um show inesquecível, fazendo soar o apito de uma locomotiva que estava parada há décadas. Da chaminé da máquina saia fumaça, enquanto o apito ecoava noite adentro, tirando lágrimas dos olhos dos ferroviários, que através daquelas cenas e do soar do apito, parecia voltaram ao passado através da mente.

PARCERIA MADEMINAS

E foi nesse sentido, em respeito aos antigos ferroviários que o prefeito Angelo Guerreiro, que em março do ano passado buscou parceria com a Mademinas para recuperar o “trole” da Pracinha dos Ferroviários. O equipamento que servia para recuperação de trilhos estava em estado de abandono, deteriorado devido à ação do tempo, foi removido do local e completamente restaurado pela equipe da Mademinas, sem nenhum custo para a prefeitura.

Em abril de 2017 foi decidido pela prefeitura, em comum acordo com o Sindicato dos Ferroviários que seria instalado na Praça Ramez Tebet, local de maior concentração no centro da cidade.

A Mademinas comprometeu a fazer toda manutenção nos dois monumentos quando houver necessidade de reparos, como mostra as fotos da galeria abaixo

COMOVIDOS

Porém, por conta da retirada do trole, que desde os meados dos anos 70 fazia parte do monumento da praça, alguns moradores da localidade criticaram a administração, bem como a empresa Mademinas, pela retirada do equipamento.

Comovidos com a reação dos moradores, os diretores da Mademinas resolveram contemplá-los, para não deixá-los órfãos do seu passado. Dessa forma eles recuperam outra peça semelhante a que foi removida e em dezembro do ano passado foi instalado na praça, devolvendo aos moradores o resgate de um pouco da sua história.

Após recuperado pela equipe da Mademinas trole foi novamente instalado na Praça dos Ferroviários (Foto: Ricardo Ojeda)

O prefeito Angelo Guerreiro levou os diretores da Mademinas, Valdir e Vilmar à Praça dos Ferroviários para mostrar as condições que estava o equipamento (Foto: Assessoria)

Em abril do ano passado o trole foi instalado na Praça Ramez Tebet. A solenidade de inauguração contou com a presença de vária autoridades (Foto: Assessoria)

Após alguns meses, a equipe da Mademinas esteve na praça Ramez Tebet revitalizando com uma mão de verniz o monumento (Foto: Ricardo Ojeda)

Comentários