11/04/2014 18h03 – Atualizado em 11/04/2014 18h03

O número representa 65% da meta do Ministério da Saúde para o estado, que é de imunizar 53 mil meninas de 11 a 13 anos. A vacina está disponível nos postos de saúde durante todo o ano

Carlos Américo, Agência Saúde

No primeiro mês de vacinação contra HPV, período em que o Ministério da Saúde realizou mobilização junto às escolas públicas e privadas, 34.823 meninas foram vacinadas no Mato Grosso do Sul. O número corresponde a 65% da meta estipulada para o estado que é de 53.935. Em todo o país, mais de 3,4 milhões de meninas já foram imunizadas contra o vírus. O quantitativo representa 83% da meta que é vacinar 4,1 milhões de adolescentes na faixa etária de 11 a 13 anos, até o final do ano.

Na segunda etapa, que inicia nesta sexta-feira (11) o foco será nos postos de saúde. Durante todo o ano, a vacina contra HPV estará disponível nas 36 mil salas espalhadas pelo país.

Utilizada na prevenção do câncer do colo do útero, a vacina passou a ser ofertada gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS) para meninas de 11 a 13 anos em 10 de março. O esquema de vacinação é composto por três doses: a segunda será aplicada com intervalo de seis meses e a terceira, de reforço, cinco anos após a primeira dose. Em 2015, serão vacinadas as adolescentes de 9 a 11 anos e, em 2016, começam a ser imunizadas as meninas que completam 9 anos.

“Este quantitativo de crianças vacinadas, em apenas um mês, é resultado do esforço de estados e municípios que seguiram a recomendação do Ministério e realizaram a mobilização nas escolas”, ressaltou o ministro da Saúde, Arthur Chioro. Segundo o ministro, como a estratégia deve continuar em algumas escolas, é importante que pais e responsáveis se informem sobre até quando deve prosseguir a vacinação.

Para o primeiro ano, o Ministério da Saúde adquiriu 15 milhões de doses. A vacina utilizada é a quadrivalente, que confere proteção contra quatro subtipos (6, 11, 16 e 18) do HPV, com eficácia de 98%. Os subtipos 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer de colo do útero em todo mundo.

A vacinação é o primeiro de uma série de cuidados que a mulher deve adotar para a prevenção do HPV e do câncer do colo do útero. Ela não substitui a realização do exame preventivo nem o uso do preservativo nas relações sexuais. O Ministério da Saúde orienta que mulheres na faixa etária dos 25 aos 64 anos façam o exame preventivo, o Papanicolau, a cada três anos, após dois exames anuais consecutivos negativos.

O número corresponde a 65% da meta estipulada para o estado que é de 53.935 (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários