18/01/2013 08h26 – Atualizado em 18/01/2013 08h26

Mais de 500 mil atendimentos de saúde foram realizados nas unidades prisionais de MS em 2012

Da Redação

A Agência Estadual de Administração Penitenciária (Agepen) de Mato Grosso do Sul divulgou nesta quinta-feira (17) o balanço dos atendimentos de saúde nas unidades penais de Campo Grande e no interior em 2012. De acordo com os dados da Agepen, mais de 510 mil atendimentos médico-odontológico, acompanhamento de auxiliares e técnicas de enfermagem foram realizados em 2012.

Com uma população de mais de 10 mil detentos no Estado, o maior número de consultas foi registrado no atendimento em enfermagem com 435.396, em seguida o atendimento odontológico com 27.304, serviço social (17.646), clínica geral (17.559), psicologia (11.496), psiquiatria (1.884), ortopedia (674), oftalmologia (372), cardiologia (220) e neurologia (103).

Comparando aos números de atendimentos de 2011 e o ano de 2012 percebe-se registros cinco vezes maiores, já que em 2011 o número de atendimentos foi de 188.616. Para a chefe de Divisão de Saúde da Agepen, Maria de Lourdes Delgado Alves, o aumento considerável de atendimentos em saúde nas unidades prisionais, representa a eficiência dos trabalhos realizados através do Plano de Assistência em Saúde Prisional de Mato Grosso do Sul.

“O aumento de atendimentos em saúde mostra que estamos cada vez mais solidificando as ações em saúde nas nossas unidades prisionais, sejam de regime fechado ou semi-aberto. Através do SUS realizamos o atendimento básico de saúde, com equipes multiprofissionais nas 45 unidades do Estado. Os serviços incluem não apenas os atendimentos básicos, mas também um cronograma de vacinação para toda a população prisional”, destaca Maria de Lourdes.

Mato Grosso do Sul é um dos estados considerados como referência nacional nos atendimentos em saúde prisional, servindo de modelo para cidades como São Paulo e Paraná. As ações em saúde nos presídios integram o Plano Operativo Estadual (POE) que estabelece as metas gerais e específicas no Estado e operacionaliza o sistema de atenção à saúde da população prisional, a partir da qualificação de Mato Grosso do Sul ao Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário.

Além do atendimento básico, as ações também estão direcionadas ao diagnóstico de doentes crônicos existentes nos presídios da Capital e do interior. No ano passado 34 casos de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) foram diagnosticados. O combate a hipertensão arterial permitiu a análise de 243 encarcerados, encaminhados para tratamento. Outros casos também foram detectados nos exames realizados neste período, onde 174 pessoas apresentaram algum tipo de doença de pele, 34 casos de HIV foram descobertos, além de casos de tuberculose (39), hepatite B (24), hepatite C (29) entre outros.

(*) Com informações de Notícias MS

Mais de 510 mil atendimentos médico-odontológico, acompanhamento de auxiliares e técnicas de enfermagem foram realizados em 2012 (Foto: Keila Oliveira)

Comentários