21/04/2015 09h44 – Atualizado em 21/04/2015 09h44

Amigos vão prestar uma última homenagem, nos minutos finais do velório cantando em uma só voz duas músicas que Cicero mais gostava. Autoridades foram ao velório e disseram que vão trabalhar por mais segurança para Três Lagoas

Ricardo Ojeda e Patrícia Miranda

A morte do músico, Cicero Aparecido dos Santos, assassinado a facadas enquanto tentava impedir a fuga de um ladrão de bicicleta chocou a população de Três Lagoas que comentaram nas páginas sociais sua indignação no tocante a falta de segurança pública na cidade. Na noite de ontem, segunda-feira, era por volta das 17hs30, o corpo da vítima ainda nem tinha chegado ao local, uma multidão de amigos, já aguardavam a chegada do féretro.

HOMENAGEM

Por volta das 20 horas, segundo informou um funcionário da empresa funerária, mais de 500 pessoas já tinham passado pelo local para se despedir do amigo. O clima, era de completa desolação, onde os amigos relembravam os momentos da carreira musical de Cícero.

De acordo com informações repassadas pelos familiares, o sepultamento será por volta das 09hs30, mas antes os amigos músicos vão fazer uma homenagem, cantando em uma só voz, duas músicas que Cícero mais gostava.

DEPOIMENTOS

Além de amigos e familiares, autoridades também foram se despedir de Cícero, como por exemplo, o presidente da Câmara de Vereadores, Jorge do Gás e o deputado estadual Ângelo Guerreiro.

Jorginho, muito abatido, disse ao Perfil News que Três Lagoas precisa de mais segurança. Para ele o município deve ser olhado com muito carinho quando se trata de combater a violência. “A população de Três Lagoas está preocupada e nervosa, e principalmente sem segurança. O Governo do Estado tem que olhar com muito carinho para nós. É necessário intensificar rondas intensiva e extensiva 24 horas, mais policiais, policiamento nos bairros. Hoje foi um querido amigo, que a violência levou. Um bandido que ceifou a sua vida de um pai de família. Vamos cobrar junto ao governador melhorias”, afirmou.

Por sua vez, o deputado estadual Ângelo Guerreiro disse ao Perfil News que investimentos na segurança é importante para coibir ações como esta. “O que tenho cobrado que a segurança que é de fundamental importância principalmente nas fronteiras, pois se houver uma fiscalização rigorosa, as drogas serão impedidas de entrar na cidade e evitar casos como este. Este individuo, com certeza iria trocar a bicicleta pelo entorpecente”

COMPANHEIRO DE ESTRADA

Muito emocionado, o parceiro de Cícero, Luis Carlos Lima dos Santos, disse que havia parado de cantar por motivos pessoais. Ele falou que estava buscando explicações sobre o que ocorreu e que para ele é uma perda irreparável e inexplicável. “A princípio tinha parado de cantar por motivos particulares, lembro que tocamos dois finais de semana juntos, após a minha saída. Comentei com ele que Deus tem um propósito e se um dia voltar à dupla iria seguir em frente. Até comentei com minha esposa. Hoje eu parei, a minha carreira como músico, já havia até pensando antes em parar, mas agora é definitivo. Temos que nos conformar com o que acontece na vida. Hoje eu lamento muito, perdi um irmão, que era como uma família. Passávamos mais tempo entre os músicos que até nossa própria família. Uma perda inexplicável, como pessoa, trabalhador e pai, ele era um exemplo”, disse com os olhos lagrimejados.

Muitos pareciam não acreditar que aquele seria o último adeus ao cantor Cícero (Foto: Patrícia Miranda)

Desde a chegada do corpo amigos e familiares permaneceram no local até altas horas da noite (Foto: Ricardo Ojeda)

Guerreiro disse  que tem cobrado que a segurança que é de fundamental importância para Três Lagoas (Foto: Ricardo Ojeda)

Abatido, o vereador Jorginho do Gás disse ao Perfil News que Três Lagoas precisa de mais segurança (Foto: Patricia Miranda)

Comentários