06/06/2015 10h06 – Atualizado em 06/06/2015 10h06

De acordo com a denúncia, Célia e Tino receberam diárias indevidas e também contribuíram com o grupo acusado de ter desviado R$ 3,5 milhões da Câmara Municipal

Fábio Jorge

A Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo oficializou as renúncias de dois veteranos políticos riopardenses, os ex-vereadores Célia Regina Rodrigues Ribeiro (PSDB) e Justino Machado Nogueira (SDD), tiveram suas saídas decretadas na noite dessa sexta-feira, dia 05, após a leitura em plenário das duas cartas de renúncia.

Com texto idêntico, Célia e Justino alegaram na carta que as renúncias foram motivadas maneira que a Comissão Processante foi conduzida e pelo cerceamento do direito à defesa em que eles teriam direito, mas assim, de acordo com eles, não lhes foram garantidos.

“Comunico que esta renúncia é motivada pela completa ausência de efetividade da garantia da ampla defesa e contraditório, no processo e na condução da Comissão Processante.” Escreveram e assinaram.

Em menos de 5 minutos e dessa vez com poucos populares presentes nas galerias, a vereadora relatora Roseli Codognatto (PPS) leu os documentos que livraram os dois políticos do julgamento em que poderiam ser cassados ou absolvidos, sob acusação de quebra de decoro parlamentar. De acordo com a denúncia, Célia e Tino receberam diárias indevidas e também contribuíram com o grupo acusado de ter desviado R$ 3,5 milhões da Câmara Municipal.

Por serem suplentes diretos, e em tese terem interesse direto na cassação de Célia e Tino, os vereadores Sebastião Roberto Collis e Sônia Passos não participaram da sessão. No lugar deles foram convocadas e participaram da sessão, Marlene Guarda (PMDB) e Cida Donino (PSDB). Por ter parentesco como o vereador Tino, Adriano Nogueira também se ausentou e para o lugar dele a convocada foi mais uma vez, Nayara Pereira (PHS). Douglas Souza (PV) mais uma vez participou da votação no lugar de Lucineide Friosi que se declarou suspeita por ser parte integrante do processo.

HISTÓRICO

Célia e Tino, reeleitos em 2012, acumulam juntos nove mandatos (36 anos), sendo cinco de Justino (1992-1996-2004-2008 e 2012), eleito pela primeira vez em 1992, com 179 votos, quando ainda era filiado ao PSDB. Célia Pinto, concorreu e venceu sua primeira eleição em 2000, quando contabilizou 384 votos e foi a segunda mais votada. Depois, Célia Pinto foi reeleita três vezes: 2004, 2008 e 2012. Por diversas vezes e em diversos momentos da conturbada história política do município, os dois foram cogitados para concorrerem ao cargo de prefeito.

Com a saída definitiva dos veteranos, Sônia Passos (PSDB) e Sebastião Roberto Collis (PMDB) deixam de ocupar o cargo como suplentes e se tornam vereadores efetivos, o ato formal deve ocorrer na próxima sessão ordinária, programada para a terça-feira, dia 09.

LUCINEIDE FRIOSI É A PRÓXIMA E A ÚLTIMA

Dos oito vereadores envolvidos e afastados pela justiça, três foram cassados (Claudio, Fabiano e Ângelo), e quatro renunciaram (Betinho, Diony, Célia e Tino). Lucineide Friosi (PSC), mesmo possuindo diversas variáveis com relação aos outros sete, é a última acusada pelo Ministério Público e irá a julgamento na Câmara na próxima quarta-feira, dia 10. Lucineide não foi afastada junto com os demais, não responde pelos mesmos crimes que os demais, e também diferente dos demais, conseguiu a reintegração ao cargo em 24 de março, e atualmente é um dos onze vereadores efetivos da Câmara Municipal.

Pesa contra Lucineide Friosi além da acusação de prática de concussão, improbidade administrativa e recebimento indevido de diárias, suposto conluio que influenciou a não-abertura de procedimento de apuração de eventual quebra de decoro parlamentar em face da vereadora.

(*) Rio Pardo News

Temendo a cassação, os dois vereadores apontados na máfia preferiram abrir mão do mandato. (foto: Rio Pardo News)

A vereadora relatora Roseli Codognatto (PPS) leu os documentos que pediam o afastamento dos vereadores. (foto: Rio Pardo News)

Carta de renúncia de Célia (foto: Rio Pardo News)

Lucineide Friosi é a próxima e última vereadora acusada de participar da máfia das diárias a ir a julgamento. (foto: Rio Pardo News)

Comentários